28.10.11

















Alexandre Pulga deu show no Jungle Fight promovido na Cidade de Deus. Pulga vem com uma incrível sequência de vitórias. Seus fãs agora querem que ele lute no UFC-RIO 2.





A REDE GLOBO E O UFC - O assunto mais comentado nas academias de artes marciais, nas lojas de sucos que vendem açaí e nos vestiários dos centros de treinamento é um só: a compra da Rede Globo pelos direitos de transmissão do UFC, a principal liga de torneios do MMA - Artes Marciais Mistas. Já há muitos anos que os lutadores e promotores desse tipo de evento vem pleiteando que um canal de TV aberta transmita os torneios de luta. E sempre esbarraram no preconceito e na falta de visão da mídia brasileira que, apesar dos espetáculos de luta serem uma febre no exterior, sempre trataram essa atividade com preconceito e falso moralismo.



Certa vez, atendendo a um pedido de um dos irmãos Gracie, eu procurei o editor de esportes do jornal O Globo e sugeri que o jornal fizesse a cobertura do campeonato de Jiu-jitsu organizado pela família Gracie no Tijuca Tênis Clube. O jornalista, com a arrogância típica dos globais, respondeu que o jornal não ia fazer a cobertura do campeonato. "Aqui no Globo a gente não considera o jiu-jitsu um esporte e sim uma farra de arruaceiros", disse. Então eu procurei Hildegard Angel, que na época tinha sua coluna no Globo, e ela, com sua visão esclarecida do que é jornalismo, fez uma linda cobertura do campeonato.



Como diria Fernando Collor, o tempo é o senhor da razão!



Foram os rapazes da família Gracie que inventaram o MMA. Não aqui no Brasil, é claro, onde sempre foram incompreendidos pela mídia e esnobado pelos grandes patrocinadores. O MMA foi criado nos Estados Unidos, país que adotou o jiu-jitsu brasileiro. Apesar de ser uma arte marcial originária do Japão, os americanos fazem questão de dizer que praticam o jiu-jitsu brasileiro. Na América ninguém diz que luta jiu-jitsu. Os americanos fazem questão de dizer que praticam o "brazilian jiu-jitsu". E salve Hélio Gracie que fez dos seus sete filhos, sete grandes lutadores, professores e empresários. Foi graças ao espírito visionário dos irmãos Gracie que surgiu o MMA, show de lutas que já desbancou o boxe em popularidade e audiência na TV americana.



Os lutadores comentam o fato do UFC ter fechado contrato com a Rede Globo. "Eu preferia que fosse a Record", disse o lutador Ibrahim Gurgel, discordando de Marcelo Kropotkin que diz: "Acho legal que o UFC seja transmitido pela Globo. Vai massificar definitivamente o esporte e isso vai aumentar o mercado de trabalho para os lutadores". "O problema vai ser aturar Galvão Bueno narrando as lutas e José Wilker fazendo os comentários", refuta o professor Alexandre Garcez. Gui Mayer diz que preferia que a transmissão das lutas do UFC continuassem na Rede TV: "Eles estavam fazendo um lindo trabalho. Tenho medo que a Globo acabe com o UFC, com a sua mania de pasteurizar tudo o que passa por ela". Já Sergio Mineiro se mantem cético com relação a transmissão: "Nós vamos passar muita raiva com a Rede Globo. Pode apostar. Eles vão cortar as lutas pela metade, vão editar, vão querer passar depois da hora, sem ser ao vivo, vão botar o Galvão Bueno para narrar. Vai ser uma pica!", diz Sérgio, com seu vocabulário desbocado.



Pessoalmente, eu estava torcendo pela Rede Record. Mas gostei que a Globo tenha fechado contrato com o UFC. Tenho certeza que eles farão um belo trabalho na transmissão e isso vai ajudar muito na definitiva popularização desse esporte. Por outro lado, o UFC é apenas uma liga segmentada do MMA. A mais importante, é claro. Mas existem outros torneios independentes que podem fazer muito mais sucesso que o UFC, em termos de audiência na TV. O Jungle Fight, por exemplo, o torneio promovido pelo ex-lutador e empresário Wallid Ismail. Já faz tempo que o Wallid tenta fechar negócio com a Record para transmitir seu torneio de lutas. Espero que com a resolução do UFC, a Rede Record decida transmitir o Jungle Fight, um torneio sensacional, que pode render tanta audiência quanto o UFC. Ou talvez mais.



Além do Jungle Fight existe o Bitteti Combate, torneio produzido por Amaury Bitteti, o lutador favorito do craque Roberto Dinamite. O Bitteti Combate é um luxo. Já vi uma edição desse torneio com a participação de Murilo Ninja, que deu um show no octógono, treinado pelo seu irmão, o bonitão Mauricio Shogum. Uma outra liga de lutas que merece destaque é o WOCS - Watch Out Combat Show. Foi graças ao seu desempenho no WOCS que o lutador Luis Beição foi contratado para lutar no UFC. Resumo da ópera: o que não faltam no Brasil são torneios organizados e profissionais. Tudo o que esses torneios precisam é de um canal de TV interessado em transmitir suas vigorosas lutas. Se a Record perdeu o UFC para a Globo vai fazer um grande negócio se fechar contrato com o Jungle Fight. Falei e disse!


Nenhum comentário: