29.3.16








QUEM FOI BRIGITTE BARDOT? - Feriado da semana santa em Búzios. Muita gente curtindo as praias e as belezas da cidade. A estátua de Brigitte Bardot, na orla que leva o seu nome, continua sendo uma atração especial para os turistas. Muita gente fotografando a estátua e fazendo pose ao lado dela. Enquanto observo o movimento dos turistas em torno da estátua um casal passa ao meu lado. E eu escuto o homem de cerca de quarenta anos perguntar para a mulher: quem foi Brigitte Bardot? Devo ter feito uma cara de incrédulo porque a mulher se virou para mim e me pediu para explicar ao seu marido quem foi Brigitte Bardot.

Perplexo com a situação, num primeiro momento não soube como responder aquela pergunta. Foi como se ele tivesse perguntado "para que serve uma colher?", e eu lhe responderia com outra pergunta: você nunca tomou uma sopa? De que planeta ele teria vindo por não saber quem tinha sido Brigitte Bardot.

Respirei fundo e disse ao homem que Brigitte Bardot foi a Madonna dos anos 60. A diferença é que ela foi muito maior do que Madonna. No auge da sua carreira BB foi o maior produto de exportação da França. Mais do que os queijos, os vinhos e as grifes da moda. O homem me sorriu, deu as costas e saiu andando. Fui atrás dele e comecei a dar uma verdadeira aula magna sobre a vida e trajetória de mademoiselle Bardot: os filmes, as polêmicas, a beleza, os maridos... Então ele apressou o passo e fez um gesto de quem estava entediado com aquele assunto. Mas eu insisti, banquei o chato e continuei com a minha aula magna. Ele teve um pouco de paciência, mas ficou me ouvindo com uma cara de tédio. E depois seguiu seu caminho...



3.3.16



POR UM BRASIL MAIS DO MEU NÍVEL - Andou circulando na internet um texto supostamente escrito pela jornalista Miriam Leitão em que ela dizia que, diante da realidade do nosso país, estava arrependida de ter lutado contra a ditadura. Estava arrependida de ter participado de passeatas e outros eventos que buscavam trazer a democracia ao país. Li o texto e fiquei impressionado com o conteúdo, apesar de ali faltar aquele toque de classe estilístico típico da minha querida Miriam Leitão. Ela hoje veio a público desmentir o disse-me-disse da internet. O fato é que o texto não foi escrito pela Míriam Leitão.

Por outro lado, acho que se a Miriam tivesse se arrependido de ter lutado contra a ditadura, eu entenderia perfeitamente.

Pois eu me arrependo de, ainda garoto, ter participado do movimento das "Diretas Já". E de ter pixado muros com o dito "abaixo a ditadura". Hoje eu me pergunto: "Diretas Já", pra quê? Todos os políticos em quem votei me decepcionaram. Isso que temos no Brasil, supostamente uma democracia, é uma bandalheira sem fim. Os partidos políticos são apenas grupo mafiosos disputando quem vai explorar em benefício próprio este ou aquele setor da economia brasileira. As ruas, os bairros pobres, o campo, as favelas...  Tudo dominado por milicias. (Até condomínios de classe média e alta são dominados por milicianos). O nazi-evangelismo tomando conta da vida brasileira. É o caos. É o fim do caminho!

O ex-presidente Ernesto Geisel, muito querido pelo cineasta Glauber Rocha, deve estar dando gargalhadas no seu túmulo verde-oliva. Na época em que orquestrava o processo de abertura política durante o seu governo, ele disse que aqueles que lutavam contra o governo militar, quando chegassem ao poder, iriam saquear o Brasil. Dito e feito. Só não sei se isso foi uma previsão que ele fez, ou se foi uma praga que rogou. O fato é que tudo que ele disse que ia acontecer, está acontecendo de um jeito ainda pior do que ele imaginou. Que pena, como diria Gal Costa.

























BORAT PARA OS ÍNTIMOS - O nome dele é Bruno Miranda, mas o Brasil inteiro o conhece simplesmente por Borat, assistente da Fernanda Lima no programa Amor & Sexo. Modelo e atleta do vôlei de praia, o cara é bonito, charmoso, alto astral, tem um traseiro incrível e esse sorriso alegre e puro.