22.2.16



UM OSCAR PARA NINA SIMONE - Tanta polêmica esse ano porque nenhum artista negro foi indicado ao Oscar 2016. Mas, e a Nina Simone? O filme sobre a diva negra do jazz e da música pop americana está indicado ao Oscar na categoria de Melhor Documentário. E sabe de uma coisa? Apenas com Nina Simone os negros já estão muito bem representados. Do ponto de vista exclusivamente artístico, ela é muito mais incrível e muito mais genial do que a grande maioria dos indicados brancos. Sozinha, dona Nina vale mais que um batalhão de artistas negros. (Pessoalmente acho Will Smith e Spike Lee dois chatos! Por mim jamais serão indicados.) 

Na categoria dos documentários a grande Nina Simone vai ter como rival Amy Winehouse, cujo filme é recorde de público. Duas grandes artistas que já morreram, mas que deixaram um rastro de vida em suas trajetórias. Adoro a Amy, mas penso que ela não chega nem aos pés da Nina. Acredito que Nina vai ser a grande surpresa negra do Oscar 2016, cuja premiação acontece no próximo domingo. Além de sua história pessoal e artística ela foi uma ativista dos direitos civis nos EUA. Aposto cem dólares que o Oscar vai ser dela...


17.2.16



TODO PODER A SERGIO MORO - Platão comparava a vida a um jogo de dados, no qual devêssemos fazer um lance vantajoso e, depois, bom uso dos pontos obtidos, quaisquer que fossem. O primeiro item, o lance vantajoso, não depende do nosso arbítrio; mas receber de maneira apropriada o que a sorte nos conceder, assinalando a cada coisa um lugar tal que o que mais apreciamos nos cause o maior bem e o que mais aborrecemos o menor mal - isso nos incumbe, se formos sensatos. Os homens que defrontam a vida sem habilidade ou inteligência são como enfermos que não podem tolerar nem o calor nem o frio; a prosperidade exalta-os e a adversidade desalenta-os. São perturbados por uma e por outra, ou melhor, por si próprios, numa ou noutra, não menos na prosperidade que na adversidade. Teodoro, chamado o Ateu, costumava dizer que oferecia os seus discursos com a mão direita, mas os seus ouvintes recebiam-nos com a esquerda; os ignaros frequentemente dão mostras da sua inépcia oferecendo à Fortuna uma recepção canhestra quando ela se apresenta de modo destro. Mas as pessoas sensatas agem como as abelhas, que extraem mel do tomilho, planta muito seca e azeda; similarmente, as pessoas sensatas muitas vezes obtêm para si algo de útil e aprazível das mais adversas situações.

(Plutarco)

13.2.16








"Triste época. É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito".  (Einstein)


EINSTEIN E O BRASIL - Algumas semanas antes do Carnaval Doc Comparato colocou um ponto final num roteiro chamado "O desvio da luz", que tem como ponto de partida as pesquisas do cientista Albert Einstein sobre a Teoria da Relatividade. Por uma interessante coincidência, em pleno carnaval foi divulgado que um grupo de cientistas acabou de comprovar a única previsão do físico alemão ainda pendente. E imediatamente o cientista voltou as primeiras páginas dos jornais. O escritor, que já tinha enviado seu roteiro para avaliação de produtores americanos e brasileiros, ficou surpreso com a repercussão e o interesse que a coincidência causou sobre o seu trabalho.

Doc esteve em Hollywood, no início de dezembro, onde foi negociar com um agente americano o roteiro de um filme policial chamado "Identidade Perdida". Num dia nublado, passeando pelo píer da praia de Santa Mônica, começou a pensar em como fazer um novo roteiro de um filme brasileiro, mas que tivesse um apelo internacional. Então ele se lembrou do episódio ocorrido em 1919, quando um grupo de cientistas americanos e ingleses, seguidores dos estudos de Einstein, vieram ao Brasil com o objetivo de comprovar parte dos estudos do físico alemão.

Muita gente não lembra mais disso. Mas, boa parte da Teoria da Relatividade foi comprovada no Brasil. Mais precisamente na cidade de Sobral, no interior do Ceará, terra natal do cantor Belchior. Em 1919, quando as teorias de Einstein já causavam furor nos meios científicos internacionais, aconteceu um eclipse total do sol. E, estudando esse eclipse, os pesquisadores da equipe de Einstein conseguiram provar algumas das teorias do professor, no que dizia respeito ao desvio da luz. Ao pesquisar quais os lugares onde o eclipse seria melhor observado os cientistas chegaram a conclusão que Sobral, no Ceará, e uma outra cidade na África, seriam os lugares ideais para comprovar a teoria sobre o desvio da luz. Assim, duas equipes se deslocaram para essas duas regiões. Uma seguiu para a Africa. A outra para o nordeste brasileiro. Acontece que na África o tempo ficou nublado. E só em Sobral foi possível confirmar a teoria que permitiu ao cientista ganhar o Prêmio Nobel de Física. Tanto que, até hoje, a principal atração turística de Sobral é o Museu do Eclipse.

O roteiro de Doc Comparato conta exatamente a chegada dos cientistas estrangeiros ao vilarejo localizado em pleno sertão. E como aqueles fatos interferiam na vida da população de gente simples do interior do Brasil no início do século 20. Na verdade, "O desvio da luz" começa em Viena, onde Einstein vai visitar o filho autista (naquele tempo eram chamados esquizofrênicos) internado num sanatório. O garoto vive num mundo só dele, o tempo inteiro desenhando em folhas de cartolina imagens da lua ou então de cogumelos que sugerem a explosão de uma bomba atômica. Enquanto o cientista visita o filho e decide se separar da mulher, sua equipe de pesquisadores chega a Sobral munidos de lunetas e telescópios gigantes.

A notícia de que aqueles forasteiros vieram investigar um eclipse prestes a acontecer mexe com o inconsciente coletivo da população local. O padre se sente ameaçado já que, para ele, o eclipse é um fenômeno celestial. Os conservadores acreditam que é um prenúncio do fim do mundo e passam a se comportar de modo imprevisível. Os mais espertos tentam se promover com os acontecimentos. E tudo isso acaba provocando conflitos, paixões avassaladoras, desejos incontidos, descobertas inusitadas e até um crime passional. Doc Comparato construiu, a partir de um episódio da vida real, uma história fictícia com o vigor e o charme dos melhores textos de Gabriel Garcia Marquez.



NO RITMO DAS OLIMPÍADAS - O Copacabana Palace promoveu seu tradicional baile de carnaval tendo a Grécia das olimpíadas como tema. A Delegada Monique Vidal, uma das musas desse blog, entrou no clima do baile e posou ao lado de um competidor de luta greco-romana. Que tal? A festa foi animadíssima. Todo mundo curtindo a noite num clima de celebração ao prazer de viver. Afinal, é para isso que serve o Carnaval...

Champanhe, champanhe, champanhe...

Veja mais fotos AQUI



































A RAINHA DO CARNAVAL - Dessa vez não deu para Viviane Araújo. Foi dona Maria Bethânia, com seu charme e veneno, quem roubou a cena no Sambódromo. O carisma da artista fez toda a diferença no momento em que a Mangueira desfilou na avenida. Em cima de um carro alegórico, ao lado de suas afilhadas Julia e Nina, filhas do Procurador de Justiça Marcio Mothé, a artista era pura emoção. O desfile foi a consagração de uma trajetória artística admirável. Homenagem justa e merecida, e que rendeu merecidos dividendos a verde e rosa

O que eu mais gostei no desfile da Bethânia, quer dizer, da Mangueira, foi a forte presença de elementos do Candomblé. A Comissão de Frente com figurinos e coreografia que os remetia aos símbolos da religião africana. A porta-estandarte caracterizada como Iansã estava magnífica. O próprio nome do enredo "A menina dos olhos de Oyá", que faz referência a Iansã, uma das entidades mais carismáticas e charmosas do Candomblé. Num Brasil cada vez mais "evangelizoide" foi bom ver Maria Bethânia mostrando ao país sua verdadeira cara. Principalmente naqueles momentos do enredo em que se destacavam os santinhos da religião católica. Sob esse ponto de vista, o desfile da Mangueira foi "absolutamente necessário". Além de lindo e comovente.



4.2.16












BAR CANASTRA CONQUISTA IPANEMA - Com apenas um ano de existência, aniversário comemorado com pompa e circunstância no sábado, uma semana antes do Carnaval, o Bar Canastra é a grande sensação do verão de Ipanema. De cara, é apenas um botequim como tantos que existem nas ruas do Rio. Mas, de uma forma até inexplicável, caiu no gosto do povo de Ipanema e adjacências. Aqueles que tem o espírito de Ipanema. Os jovens belos e descolados. Os que tem espírito de artistas. Os boêmios à moda antiga. E, como um dos sócios é francês, a comunidade francesa está sempre presente dando um toque de classe. Bien sur! O fato é que, há muito tempo, Ipanema não conhecia um lugar que traduzisse com tanta perfeição o seu espírito, seu jeito de ser, seu modo de entender o mundo.

O sucesso do Canastra é tanto que, para comemorar seu primeiro ano de existência, os donos tiveram que fechar um trecho da Rua Jangadeiros, entre a Visconde de Pirajá e a Barão da Torre. Aproveitando o astral da temporada pré-carnavalesca, logo depois do desfile do Simpatia é quase amor, o Canastra promoveu uma linda festa, com direito a um show do Rogê, um cantor totalmente comprometido com Ipanema, simbolo sexual do Posto Nove, figura muito querida do Arpoador. O personagem ideal para comandar a festa. E ele não se fez de rogado. Inspirado pelo astral que envolvia Ipanema naquele momento, Rogê fez um show sensacional, recriando com muito suingue e simpatia grandes sucessos da MPB, além de suas próprias canções. Foi lindo. Inesquecível. A festa mais incrível deste verão de 2016.

Veja só...




































BOTANDO O BLOCO NA RUA

1.2.16

































SAMBANDO À BEIRA DO PRECIPÍCIO - Alegria, alegria. O povo carioca vai às ruas celebrar a vida, nosso bem mais precioso, que independe de condições financeiras ou conjunturas políticas. Viva a vida. A influente revista The Economist ao se referir ao nosso carnaval afirmou que "o Brasil está festejando à beira do precipício". Pois que assim seja! A alegria e o otimismo estão nas ruas de todo o Brasil, nesses tempos de folia. Estamos vivos: curtindo, amando, caindo, tropeçando, mas, acima de tudo, sobrevivendo. 

Algumas amigas minhas, como minha adorada Kika Gama Lobo, ficam no Facebook se queixando do carnaval. Com tudo o que está acontecendo, para que tanta alegria? Pois eu recomendo as minhas amigas: vistam uma fantasia e venham se esbaldar à beira do precipício.