28.6.16



EDIFÍCIO AQUARIUS - O mais aguardado filme do ano já tem data de estreia: 1 de setembro. Aquarius, o filme do diretor Kleber Mendonça Filho, todo filmado na Praia de Boa Viagem, em Recife, e estrelado por Sonia Braga, já tem até um trailer oficial que deixa o público com vontade de ver o filme. Mesmo durante o Festival de Cannes os produtores investiram no mistério e mostraram apenas uma cena do filme. Com o trailer já se pode ter uma ideia do que vem a ser Aquarius. Além de mostrar que Sonia Braga continua uma atriz fascinante, o filme promete trazer o cantor Taiguara de volta as paradas de sucesso, já que algumas cenas são embaladas com uma das ótimas canções do artista. 

Veja a seguir... 


26.6.16



VIVER DÁ MUITO TRABALHO - Em sua coluna Miriam Leitão nos conta que, num encontro com jornalistas, a Ministra Carmem Lúcia, do STF, disse que "viver dá trabalho". Pois eu seria até mais enfático do que a Ministra e diria que "viver dá muito trabalho". É tanto trabalho que às vezes cansa. Há momentos em que dá vontade de desistir de tudo. É tanta confusão no mundo! São tantos conflitos entre culturas e modos de pensar que às vezes dá até medo sair de casa. Num semana um louco abre fogo dentro de uma casa noturna. Na outra semana o Reino Unido resolve criar uma confusão que envolve o mundo inteiro. Isso para se falar apenas num sentido mais amplo. Sem contar os conflitos báscos do cotidiano de cada um: violência, assaltos, tiroteios, confusões, preconceitos, ambições. E tem também a vida em sociedade: família, amigos, conhecidos, colegas de trabalho, etc.  Ufa! Acho que a Ministra Carmem Lúcia se revelou uma filosofa. Viver dá mesmo muito trabalho. 

19.6.16


A vida é o que acontece quando estamos fazendo outros planos.

ANOTHER DAY - Certa vez encontrei Paul McCartney em Paris. Foi em 2005, durante o Ano do Brasil na França. Fui cobrir para o Caderno H, do Jornal do Brasil, a visita do então Presidente Lula nas comemorações do 14 de julho. Um dia, quando voltava para o hotel, encontro Paul McCartney saindo num carro preto. Como havia um certo trânsito o carro parou alguns instantes e ele ficou bem perto de mim. Ao vê-lo na minha frente não resisti e disse: Paul, I love you. Daí ele botou a cabeça para fora da janela do carro, abriu os braços e disse alguma coisa que não entendi. Então o carro acelerou e ele foi embora ainda com a cabeça do lado de fora e os braços abertos. 

Foi um dos momentos mais felizes da minha vida. 

Eu e Paul temos histórias. Quando eu era garoto, menino mesmo, estava indo à escola, com a farda de calça curta. Eu tinha que pegar um ônibus para ir ao colégio. Naquele dia estava atrasado e não podia perder o ônibus de jeito nenhum. O colégio era muito rígido e não permitia que nenhum aluno entrasse fora da hora. Daí a loja de discos que ficava perto da parada de ônibus começou a tocar "Another Day". Foi a primeira vez que ouvi aquela música. E senti uma emoção tão grande! Uma sensação de beleza como até então eu jamais havia sentido. Era apenas um garoto de calças curtas. Daí o ônibus parou. Em vez de entrar no ônibus eu preferi ficar ouvindo a canção. A vida é feita de escolhas e  ônibus foi embora. Preferi ficar parado ouvindo a música de Paul McCartney. Naquele dia perdi aula no colégio. Fui até a loja de disco e pedi para o moço tocar aquela música novamente. Até hoje, sempre que escuto "Another Day" lembro desse episódio, e da emoção que a música me provocou. A mesma que me provoca até hoje.











18.6.16



NOSSOS BOFES TEM MAIS VIDA - Nesse momento surreal em que vivemos, se eu pudesse mudar alguma coisa no Brasil eu mudava a letra do Hino Nacional. Naquele trecho que fala "nossos bosques tem mais vida" eu mudava para "nossos bofes tem mais vida". Que tal?

14.6.16



O bom senso é o que há de mais bem distribuído no mundo pois cada um pensa estar bem provido dele.


MINHA CASA, MINHA DÍVIDA - Não se fala em outra coisa no Facebook. Domingo passado o programa Fantástico publicou uma grande reportagem sobre a atuação de síndicos desonestos, que aplicam os mais diversos golpes nos condôminos de seus prédios. A reportagem é bem abrangente e mostra como síndicos mal intencionados provocam gastos e desfalques nos condomínios que administram. Dão golpes superfaturando serviços essenciais como limpezas de caixa d´água, vistoria em elevadores e serviços de manutenção em geral. Mas, o mais interessante que a reportagem mostrou foi como os síndicos roubam de seus condôminos na instalação e manutenção de câmeras de segurança. O fato é que a reportagem deixou chocados o público brasileiro que assiste ao Fantástico.

"Todo morador tem o direito de pedir vistas nas pastas de prestação de contas do condomínio. Essas pastas tem que estar a disposição de qualquer um", disse Renato Tichauer, o Presidente do Sindicato dos Síndicos de São Paulo. Outro que deu um depoimento muito interessante foi o auditor, especializado em auditoria de condomínios João Carlos dos Santos Júnior. Ele disse: "Tem síndicos que se sentem donos dos prédios, se negam a dar informação, são rudes. Esse tipo de síndico é preciso prestar  muita atenção nele".  Que tal? Já Hubert Gebara, vice-presidente do sindicato da habitação de São Paulo estimulou os moradores a participarem das reuniões de condomínios, serem exigentes com os síndicos e solicitarem explicações para todo tipo de gastos. Disse ele: "Se alguém não vai na reunião, não pede explicações ao síndico ou a síndica, depois não pode reclamar de nada". 

Portanto, proprietários e inquilinos, todos devem exigir o máximo de transparência das contas dos seus condomínios pra evitar roubos e falcatruas de síndicos pilantras. A reportagem, inclusive, mostra o caso de uma síndica que sumiu com o dinheiro do condomínio, deixando os proprietários cheios de dívidas. Uma proprietária desconsolada e endividada declarou: "Agora é Minha Casa, Minha Dívida" .  

Veja AQUI a reportagem do Fantástico!                

9.6.16

































SIMPLESMENTE ZICO - Um dos maiores ídolos do futebol brasileiro, Zico reinou absoluto nos seus tempos de glória no Flamengo. Foi um tempo em que ele era alvo das lentes implacáveis do fotógrafo Sebastião Marinho. E foi no arquivo secreto do grande Sebastião que encontrei essas preciosidades. Fotos magníficas de Zico no auge da fama e da forma física. Aliás, que forma física! Ainda bem que essas imagens estão preservadas para a eternidade.

Eu tive o privilégio de trabalhar com Sebastião Marinho na redação do Jornal do Brasil, nos bons tempos do jornal impresso. Ele era o fotógrafo do Caderno H, o suplemento editado por nossa querida e adorada Hildegard Angel. Foi Hilde quem primeiro me falou do Sebastião, quando o suplemento ainda estava em gestação e ela estava buscando um fotógrafo para ser exclusivo do suplemento. "O Sebastião é um fotógrafo magnífico, um gênio da fotografia. Só para você ter uma ideia, foi ele quem ensinou o Dr. Roberto Marinho a fotografar", disse ela, num tom respeitoso e cheio de admiração.    

A convivência com Marinho na redação do jornal não poderia ser mais prazerosa. Inteligente, bem humorado, afetuoso com os colegas. E o seu material fotográfico para as matérias que fazíamos era sempre de alto nível. Nossa maior dificuldade sempre foi escolher a melhor foto para ilustrar as matérias, já que ele sempre nos apresentava uma variedade enorme de opções.

Agora Sebastião Marinho decidiu ir publicando aos poucos, em sua página no Facebook, o seu arquivo fotográfico. Ele faz todo tipo de foto. Desfiles de moda, paisagens, personalidades, políticos, etc. Mas são suas fotos dos tempos do Caderno de Esportes do Globo que mais emocionam. São belas, oportunas, sofisticadas e inteligentes. Assim como é o próprio Sebastião.    
















Acima mais fotos de Sebastião Marinho. No alto, a comemoração de um gol em grande estilo, quando os uniformes dos times eram bem mais charmosos;  abaixo o flagrante de um treino da seleção brasileira dos tempos de Zico; a seguir Zico ainda com cara de menino, mas já com a camisa do Flamengo; depois vemos Sebastião fotografando os craques da Seleção; em seguida ao lado do Capitão Carlos Alberto e a Jules Rimet; E finalmente Sebastião Marinho posando ao lado dos dois maiores ídolos do futebol brasileiro: Pelé e Zico.

5.6.16



















ARTE É TUDO - O Centro Cultural da Caixa Econômica, no centro do Rio, apresenta até o dia 26 de junho a exposição denominada Ex-voto, alma e raiz, reunindo o acervo do pintor sergipano Antonio Maia. A partir de 10 de dezembro a mesma exposição estará em São Paulo. Que palavra poderia definir essa exposição? Comovente. O estilo singelo dos traços e uso das cores emociona quem tem o privilégio de ver os trabalhos, principalmente ao se vislumbrar dezenas de quadros reunidos num único ambiente, como na mostra ora em cartaz na cidade em que o artista viveu a maior parte de sua vida, e onde produziu seus trabalhos mais significativos. Seu estilo é marcante. Um observador atento logo reconhece o traço e a temática de Antonio Maia, nome referência na pintura brasileira. Nasceu em Carmópolis, Sergipe, em 1928 e aos 17 anos foi morar em Salvador. Mas logo se mudou para o Rio, onde viveu a maior parte de sua vida, apesar de ter passado temporadas em Barcelona, Londres e Genebra. Mas a sua arte ficou para sempre marcada pela infância que viveu no interior sergipano, com uma temática muito ligada a religiosidade popular do povo nordestino. Antonio Maia morreu no Rio de Janeiro, em 2008.