30.10.15










A HORA E A VEZ DE ARICLENES BARROSO - Consagrado no Festival do Rio, onde recebeu o prêmio de Melhor Ator pelo filme Aspirantes, Ariclenes Barroso promete causar sensação nas telas do cinema e da TV. No videoclipe da música Amor Marginal, num clima de "novo cinema pernambucano" ele aparece dando beijos na boca do cantor Johnny Hooker. O clipe é original, bem produzido e Ariclenes faz toda a diferença, com sua presença marcante e absurdamente cinematográfica. 

Guardem o nome dele. Ariclenes Barroso nasceu predestinado para ser um astro. Seu pai o batizou com o verdadeiro nome do ator Lima Duarte. Que tal? O artista começou a carreira ainda criança, atuando no teatro. Seu primeiro diretor foi simplesmente José Celso Martinez Correia. Que tal? Além de Aspirantes atuou em filmes notáveis como Tatuagem e Jonas. Em ambos divide a cena com Jesuíta Barbosa. Dia 12 de novembro estreia mais uma produção em que atua, filme que tem o espetaculoso título de Se Deus vier, que venha armado.  E a Mostra de Cinema de São Paulo exibe Ralé, novo filme de Helena Ignêz, onde Ariclenes divide a cena com Ney Matogrosso.

 
Vale a pena assistir ao clipe de Amor Marginal:



29.10.15



Quem gosta de ler não morre só. (Ariano Suassuna)


O LUME E O AGRESTE - Pernambuco tem agitado a produção cultural brasileira com filmes de sucesso como Tatuagem, Boi Neon, Sangue Azul e o Som ao Redor. Na música o destaque é o som original e exótico do cantor Johnny Hooker. Mas isso é só o começo da revolução cultural que começa a se desenhar na terra do saudoso Ariano Suassuna. Nas calçadas que margeiam os rios Capibaribe e Beberibe, nas cercanias do Teatro Princesa Izabel, nas areias tórridas da Praia de Boa Viagem e nos trepidantes bares do centro velho de Recife só se fala num livro chamado O Lume e o Agreste. Quem já leu garante que a moderna literatura brasileira nunca mais vai ser a mesma depois desse livro. O lançamento oficial vai acontecer em novembro, mas edições piratas dos originais do livro circulam entre leitores ávidos, curiosos e ansiosos por se encantaram com as palavras bem alinhavadas contidas neste romance. Conta-se que o livro narra a história fictícia de uma influente família do agreste pernambucano. Há quem diga que  o texto é digno de um Guimarães Rosa. Mas há quem conteste com veemência e  jure que mais parece um Garcia Marquez revisitado. O fato é que as referências são as melhores possíveis. Brilhante! Magico! Sensacional! Foi com esses adjetivos que o livro foi saudado nos estandes da Bienal do Livro de Pernambuco. O autor é um certo Fabiano Costa Coelho (foto), atualmente o escritor mais discutido no casarão histórico do bairro das Graças, onde fica a Academia Pernambucana de Letras. Ariano Suassuna ficaria orgulhoso desse escritor, sussurram as almas penadas que circulam neste tradicional centro de letras. Os criativos cineastas pernambucanos já disputam os direitos de filmagem, impressionados com a dramaturgia contida na história.  O fato é que O Lume e o Agreste vai chegar às livrarias cercado de uma expectativa que poucos livros conseguem. Pelo menos no grande centro cultural em que se transformou o estado de Pernambuco O Lume e o Agreste já é considerado um cult.   












A ARTE DO ARTISTA - Muita expectativa em torno dos novos trabalhos do artistas Victor Arruda. Seus novos quadros  estarão expostos para deleite do seu público a partir de 11 de novembro na Galeria Artur Fidalgo, (Rua Siqueira Campos, 153, em Copacabana). A exposição foi batizada de "Trans", pois o artista alega que sua nova produção artística é fundamentada na "transformação" dos trabalhos que realiza desde a década de 70. Victor Arruda impressiona com o expressionismo das suas imagens ao mesmo tempo belas e perturbadoras. Um dos nossos mais talentosos pintores.    

19.10.15














O PEQUENO GRANDE VALOIS - Ele faz sucesso na TV, no cinema e no teatro. Depois de se destacar no elenco da novela Babilônia, de Gilberto Braga, Xande Valois lança um filme no Festival do Rio e, na mesma semana, estreia a peça "Ou tudo ou nada", um musical da Broadway adaptado para o Brasil por Artur Xexéo e direção do Tadeu Aguiar. Em todas as mídias ele se destaca com seu carisma e talento. No filme "Através das Sombras" encanta e seduz como um menino assombrado por fantasmas. Na peça "Ou tudo ou nada" seu personagem sofre com o pai desempregado e o estimula a participar de um show de striptease masculino para ganhar dinheiro e poder pagar a pensão que está atrasada. Totalmente à vontade no palco, ele comove e diverte a platéia, demonstrando sua segurança na arte de representar.

O jovem ator Xande Valois é filho de Alexandre Valois, um grande atleta do futebol de praia. Seu pai é um gênio do futebol, um talento que sempre sonhou em jogar no futebol profissional, mas que nunca teve sorte. Mesmo assim, jamais desistiu da sua maior e mais cara paixão. Por isso se dedicou ao futebol de praia, onde é considerado uma verdadeira lenda viva. Vários amigos de Alexandre Valois já foram ver o espetáculo em cartaz no Teatro NetRio. E todos ficaram comovidos e chegaram a chorar com a trama da peça que, de certa forma, é parecida com a vida pessoal do ator. O personagem de Mouhamed Harfouch é um operário desempregado, que não consegue se firmar profissionalmente e vive sendo pressionado pela mãe do seu filho para pagar a pensão alimentícia, já que são separados. Ela quer proibir o pai de ver o garoto, caso ele não pague a pensão atrasada. O homem está desesperado com suas dívidas que só aumentam, quando surge uma oportunidade de trabalhar numa boate fazendo striptease. Acontece que ele é um sujeito simples, careta, tímido e recusa o trabalho. Acha que não nasceu para aquele trabalho. E o filho, de um modo singelo e engraçado, mostra para o pai que  ele pode fazer aquilo sim, para ganhar o dinheiro e sossegar a mãe que quer separá-los. Esse contexto da peça é muito comovente, e os atores tem um entrosamento que passa muita verdade. E o pequeno Valois está brilhante, tanto nas cenas em que passa emoção, quanto nas cenas de humor. O público dá muitas gargalhadas na cena em que ele, com desenvoltura, ele ensinar o pai a fazer o striptease.

Alexandre Valois, o pai, é um sujeito fabuloso. Um típico carioca. Nas duas últimas décadas fez seu nome jogando no futebol de praia de Copacabana. Ali é muito querido graças a sua dedicação ao esporte e ao seu jeito afetuoso e respeitoso de lidar com todos. As mulheres não resistem ao seu charme másculo e sedutor. Quando seu filho nasceu todos notaram a mudança no seu jeito de ser, reservando todo seu afeto e carinho ao filho. Queria que o pequeno Xande fosse jogador de futebol. Mas, muito mais rápido do que jamais imaginou, viu o pequeno se transformar num artista versátil e cheio de possibilidades. Ao final do espetáculo de estreia o autor Artur Xexeo se dirigiu ao jovem Valois e foi logo dizendo; "Você tem um futuro brilhante pela frente". Xexeo sabe das coisas...


















O MELHOR NU FRONTAL - Um dos filmes mais interessantes do Festival do Rio: "Introdução da música do sangue", dirigido por Luiz Carlos Lacerda, a partir de um argumento do escritor Lúcio Cardoso, um mestre do romance de introspecção psicológica. Ambientado no sertão mineiro, com uma fotografia que valoriza o bucólico cenário rural da região, o filme tem no elenco Ney Latorraca, Bete Mendes e a estreante Greta Antoine. A direção primorosa, a fotografia envolvente e a trilha sonora arrebatadora dão um toque de classe à produção. Mas o grande destaque do filme é o ator pernambucano Armando Babaioff que interpreta um vaqueiro rude e solitário. Sua interpretação segura domina a cena sempre que ele aparece. Mas não é só isso. Ao final da sessão para convidados todo mundo só falava na cena em que ele aparece em nu frontal tomando um banho de rio. Sucesso total. 






















14.10.15









TROFÉU REDENTOR - Por seu papel como um jogador de futebol atormentado no filme "Aspirantes", o cearense Ariclenes Barroso foi escolhido o Melhor Ator, da edição 2015 do Festival do Rio. Com jeito de um "James Dean-Cabra da peste", ele cativou o público com sua atuação. Mas "Aspirantes" não foi o único filme que teve o ator em seu elenco. "Jonas", estrelado por Jesuíta Barbosa, Laura Neiva e o cantor Criolo, também contou com a presença de Ariclenes, dessa vez interpretando um bandido tão perigoso quanto neurótico. Outra atuação de destaque. Ariclenes Barroso esteve no elenco de filmes como "Tatuagem", "Luz nas Trevas: A volta do Bandido da Luz Vermelha" e "Se Deus vier que venha armado". 









TROFÉU REDENTOR - A exemplo do que aconteceu no ano passado, um filme pernambucano foi o grande vencedor da edição 2015 do Festival do Rio. Como aconteceu com "Sangue Azul" em 2014, Boi Neon ganhou o Troféu Redentor de Melhor Filme. "Boi Neon" também levou os prêmios de Melhor Roteiro para o diretor Gabriel Mascaro, Melhor Fotografia para Diego Garcia e Melhor Atriz Coadjuvante para Alyne Santana. Ivens Rosenfeld, diretor de "Aspirantes" dividiu com Anita Rocha de "Mate-me por favor" o prêmio de Melhor Direção. Sergio Mekler venceu Melhor Montagem pelo filme Campo Grande e Valentina Hersage ganhou Mewlhor Atriz, por sua atuação em "Mate-me por favor".

A lista completa dos vencedores está AQUI



12.10.15











CINEMA É A MAIOR DIVERSÃO - Um filme denso, comovente e apaixonante. Assim é "Órfãos do Eldorado", de Guilherme Coelho, mesmo diretor do documentário PQD, sobre os paraquedistas do exército brasileiro. Agora ele faz uma bem sucedida estreia como diretor de filme de ficção. A direção segura é o principal trunfo de "Órfãos do Eldorado", adaptação do livro de Milton Hatoum. Conta a história de Arminto Cordovil, um sujeito misterioso e atormentado, que volta à terra natal, uma cidade perdida na floresta amazônica, para encontrar o pai que o rejeitou. O pai morre ao vê-lo. A partir daí ele desenvolve uma relação tensa e sensual com Florita, Dira Paes, a madrasta que o criou. O surgimento de uma mulher misteriosa, Dinaura, interpretada por Mariana Rios, provoca conflitos ainda mais tempestuosos na relação do casal. Sentimentos contraditórios permeiam a relação dos personagens onde incesto, compulsão sexual e paixões selvagens se misturam numa dosagem forte. Em meio aos dramas e desejos envolvendo o triângulo amoroso, um personagem se destaca: a floresta amazônica, com seus rios e suas paisagens exóticas, cenário que parece deixar os personagens ainda mais angustiados e sofridos.

Daniel de Oliveira e Dira Paes tem atuações primorosas em seus papeis. Ele transmite sua angústia da primeira a última cena. Já Dira, cada dia mais bela e sensual, envolve o espectador vivendo uma mulher forte e selvagem.  Nesse filme que causa impacto é como se Ingmar Bergman tivesse resolvido filmar no meio da floresta tropical.  

"Órfãos do Eldorado" estreia dia 12 de novembro num cinema perto de você...



9.10.15









WALTER LIMA JR. RECRIA CLÁSSICO DO CINEMA - Em um dos projetos mais ousados do cinema brasileiro dos últimos tempos, o cineasta Walter Lima Júnior filmou uma versão brasileira de "Os Inocentes", considerado um dos maiores filmes de suspense e terror da história. Que tal? Dirigido por Jack Clayton e lançado em 1961, o filme é uma adaptação do livro "A volta do parafuso", do escritor americano, naturalizado inglês Henry James. É uma história arrepiante sobre uma mulher que vai ser governanta de duas crianças que vivem numa mansão isolada, que ela acaba descobrindo ser povoada por fantasmas. Débora Kerr interpreta a governanta aterrorizada por almas do outro mundo, num filme que teve Truman Capote entre seus roteiristas.

"Através da sombra" é o título da versão brasileira que se passa no casarão de uma fazenda de café, entre os anos de 1920 e 1930 e é bastante fiel ao filme original. Virginia Cavendish interpreta a governanta que é contratada por um homem misterioso para cuidar de seus sobrinhos. Walter Lima consegue manter um clima de suspense com sua direção segura e  determinada. Ana Lúcia Torre está muito bem como a empregada do casarão. Mas quem rouba a cena são as crianças do filme, responsáveis pelo clima aterrorizante da história. A menina Mel Maia cumpre seu papel com talento, mas é Xande Valois quem se destaca na trama. Totalmente à vontade no papel, o jovem ator demonstra um excelente domínio de cena interpretando um garoto atormentado e perverso.

A realização de "Através da sombra" é uma grande sacada das produtoras Virginia Cavendish e Maria Dulce Saldanha que convenceram Walter Lima Júnior a tocar esse projeto. O filme não consegue superar a versão americana. Mas, mesmo assim, cumpre o seu papel de encantar a plateia com uma produção original e muito bem realizada.

 
Veja a seguir o trailer de "Os inocentes" que deu origem a "Através da sombra".