28.9.15









 






FATOS E FOTOS - A casa onde morava o empresário Guilherme Araújo, na rua Redentor, 157, em Ipanema, agora é um espaço público chamado Gabinete de Leitura Guilherme Araújo. Quando morreu, o lendário empresário dos Doces Bárbaros Caetano, Gil, Gal e Bethânia deixou escrito em seu testamento que a sua casa deveria ser transformada num Centro Cultural.  E assim foi feito. Desde o dia 15 de setembro a residência do Guilherme está aberta ao público, com a exibição de uma linda exposição de fotos de Thereza Eugênia. Os principais retratados são os pupilos do Guilherme, Caetano, Gal, Gil e Bethânia. Mas a exposição também apresenta fotos de outras estrelas da MPB como Chico Buarque, Ney Matogrosso, Raul Seixas. Além de fotos dos bastidores das festas que Guilherme produzia, como o tradicional baile de carnaval Sugar Loaf e o Grande Gala Gay.

Thereza Eugênia é um fotógrafa talentosa e sofisticada. Também baiana, veio para o Rio juntos com seus conterrâneos. E, como eles, veio disposta a arrasar. E ela sempre arrasou como fotógrafa. Fez capas de discos e ilustrou reportagens com os artistas de sua terra. Registrou toda a trajetória dos artistas baianos, com a intimidade de quem os conhecia de perto e frequentava suas casas. Amigas deles desde sempre, teve carta branca para fotografá-los como quisesse. 

Mas nem todas as fotos bacanas estão na exposição. Thereza Eugênia tem um arquivo secreto de fotos íntimas dos baianos, que ela não mostra para ninguém. A não ser para os amigos muito íntimos. Fotos que ela acredita que ainda não deve expor, por respeito a privacidade dos fotografados. Mas que um dia certamente vão merecer uma exposição ou então uma publicação num livro de arte, por conta da beleza e da importância histórico-cultural dos registros. Como por exemplo as fotos que ela fez de Maria Bethânia bem jovem, nadando na piscina de sua casa completamente nua. Ou mesmo fotos de Gal namorando a modelo Wilma Dias, aquela loira escultural que dançava seminua na abertura do programa O Planeta dos Homens. Lembram? O mundo precisa ver essas fotos... 

As fotos expostas no Gabinete de Leitura Guilherme Araújo são de uma beleza ímpar. Registros de quem sabe manejar uma máquina fotográfica e captar o melhor de seus fotografados. É uma exposição que vale a pena ser vista. Além do privilégio que o visitante tem de conhecer a casa onde Guilherme recebia os amigos para festas memoráveis, que sempre davam o que falar.

  

23.9.15



PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA - Outubro está chegando e com ele a divulgação do ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 2015. O primeiro Nobel de Literatura foi entregue em 1901, ao poeta francês Sully Prudhomme. Desde então, o prêmio foi entregue a escritores dos mais mais diversos lugares do mundo. A Irlanda ganhou com William Butler Yeats, em 1923. O Chile com Gabriela Mistral em 1945. A Inglaterra com Bertrand Russel, em 1950. A Islândia com Halidor Laxness, em 1955. A Rússia com Bóris Pasternak em 1958. Estados Unidos com John Steinbeck em 1962. A Guatemala com Miguel Angel Astúrias em 1967. O Chile com Pablo Neruda em 1971. A Itália com Eugênio Montale em 1975. A Austrália com Patrick White em 1973. A Colombia com Gabriel Garcia Marquez em 1982. O Egito com Naguib Mahfouz em 1988. O Japão com Kenzaburo Oe em 1994. Portugal com José Saramago em 1998. A China com Gao Xingjian em 2.000.  Só para citar alguns exemplos. A literatura de países como França, Estados Unidos, Itália e Espanha foi premiada diversas vezes. O fato é que, em mais de um século de existência, a literatura brasileira nunca foi laureada com o Nobel. 

 
Por que essa desfeita com a literatura brasileira? José Lins do Rêgo, por exemplo, um dos mais brilhantes escritores da língua portuguesa, nasceu em 1901, o ano em que foi entregue o primeiro Nobel. Nelson Rodrigues, Carlos Drummond de Andrade, Ariano Suassuna e José Mauro de Vasconcelos nunca foram sequer cogitados. O nome de Jorge Amado chegou a ser lembrado para o prêmio, por conta do sucesso dos seus livros no exterior. Mesmo assim, não foi premiado. Aliás, Jorge Amado nunca se conformou de não ter recebido o Nobel de literatura. Não só por ele, como escritor, mas pelo Brasil. Ele achava, com razão, que tinha um trabalho que poderia conceder essa láurea ao Brasil. Amado chegou a comentar sobre sua frustração com amigos. Contava, em tom de piada, que o chileno Pablo Neruda só ganhou o Nobel porque ligou para a Academia Sueca que concede a premiação dizendo: "Estou doente, vou morrer ates do fim do ano e vocês não vão me dar o Nobel?", e que por isso foi laureado. Certa vez, em Paris, amigos comuns convidaram Jorge Amado para jantar com Garcia Marquez, que tinha acabado de ser premiado. Garcia Marquez queria muito encontrar Jorge Amado, mas ele se recusou a encontrar o colombiano. 

A literatura brasileira tem muitos escritores que poderiam ser premiados. Veja a seguir uma lista de dez brasileiros que merecem ganhar o Nobel de Literatura.

1 - Rubem Fonseca
2 - Ruy Castro
3 - Antônio Cícero
4- Tabajara Ruas
5 - Raimundo Carrero
6 - Paulo Coelho
7 - Marcio Souza
8 - Lygia Fagundes Telles
9 - João Gilberto Noll
10-Fernando Santoro

13.9.15

















UMA LÁGRIMA PARA BETTY LAGO - Muito antes de Gisele Bundchen o Brasil teve uma top model chamada Betty Lago. Eram outros tempos. Não havia a internet. A industria da moda não era tão voraz e poderosa como nos dias de hoje. Mas era um tempo em que havia a chamada alta moda. Um tempo em que a moda tinha o tratamento de uma grande arte. Era a época da fase áurea dos grandes costureiros. Sim, costureiros. Só depois é que eles passaram a ser chamados de estilistas. Nomes como Pierre Cardin. Yves Saint Laurent, Valentino, Christian Dior, Thierry Mugler e Azzedine Alaya. Betty Lago trabalhou com todos. Ou em desfiles, nos lançamentos das grandes coleções, ou em editoriais de moda para as revistas especializadas. Era um tempo em que não havia semanas de moda no Brasil. Mas algumas marcas brasileiras realizavam seus desfiles, sem muita assiduidade. Certa vez, na virada dos anos 70 para os 80, a Blu Blu, uma badalada boutique de Ipanema, promoveu um desfile de sua nova coleção na calçada em frente a loja, na Rua Montenegro. Betty Lago desfilou no espaço reservado a passarela mas, ao contrário das outras modelos que voltaram para dentro da loja, ela foi embora, desfilando pelas ruas de Ipanema. Nem precisa dizer que foi ovacionada.

Sempre fui admirador da Betty Lago e acompanhava com atenção a carreira dela como modelo. Mas só a conheci pessoalmente na época em que ela atuou como atriz na minissérie Sex Appeal, de Antonio Calmon. Na época eu era assistente do Calmon e, quando ele ainda escrevia os primeiros capítulos de sua minissérie, eu sugeri o nome de Betty Lago para o elenco. "Se você está escrevendo uma minissérie sobre o mundo da moda, é claro que a Betty Lago tem que estar no elenco", eu disse, mostrando a ele um exemplar da revista Vanity Fair, que tinha um anúncio de pagina inteira com uma foto da modelo. Uma linda foto em preto e branco. O Calmon sempre acatava minhas sugestões e aprovou o nome dela na mesma hora. E ainda me deu um presente. "Já que você é tão fã da Betty liga pra ela pra saber da disponibilidade de datas para a gravação". Daí eu liguei pra Nova York e fiquei horas com ela ao telefone. Durante a gravação da minissérie a gente se falava quase todos os dias. Certa vez ela me ligou, disse que estava indo ao cinema com o Mauro e me perguntou se eu queria ir junto. Pensei que ela estava se referindo ao Mauro Rasi, que era nosso amigo, mas quando cheguei no cinema vi que era o Mauro Taubman, o dono da Company, uma das marcas mais queridas da juventude dos anos 80. Fomos ao cine Leblon ver "O Piano", da Jane Campion. Assistimos ao filme, conversamos, demos risadas, depois eles me deixaram na porta de casa. Durante todo o tempo em que ficamos juntos notei que havia uma troca de carinhos entre a Betty e o Mauro, mas que havia uma certa melancolia na afeto entre eles. Dias depois o Mauro Taubman morreu...

Betty Lago vai fazer falta. Ela merecia viver mais, muito mais, com sua alegria, sua risada, sua elegância, sua inteligência e seu talento.

Certa vez, na gravação da cena final de Sex Appeal, ela chegou na locação, o antigo Automóvel Clube, no centro do Rio, completamente despojada. Era a cena de uma festa, então tinha todo o elenco, além de figurantes. Ou seja, era uma cena complicada pois envolvia muita produção. Quando ela chegou já havia muita gente no set. Então a diva sentou no chão, num cantinho qualquer entre os figurantes e, de cara lavada, abriu uma bolsa e pegou sua própria maquiagem. Ela mesmo se maquiou ali, sentada no chão, num cantinho, bem simplesinha. Minutos depois, quando se levantou, estava deslumbrante. Linda, pronta pra arrasar. Assim era Betty...

Descanse em paz, minha querida. Você sempre vai estar entre nós...



7.9.15

































SALVE 7 DE SETEMBRO

2.9.15

























































CINEMA É A MAIOR DIVERSÃO - Noite de festa na Cinelândia com a entrega do Premio do Cinema Brasileiro aos melhores de 2015. O filme O lobo atras da porta foi o grande vencedor da noite com sete prêmios, incluindo melhor filme, melhor diretor e melhor atriz para Leandra Leal, que estava na festa com um decote arrasador. Leandra venceu numa disputa acirrada com Debora Secco, Drica Moraes, Fabiula Nacimento e Bianca Comparato. Jesuita Barbosa sagrou-se vencedor na categoria coadjuvante, vencendo Caua Raymond, indicado por dois filmes, Tim Maia e Alemao. Tony Ramos, no papel de Getúlio Vargas e Babu Santana como Tim Maia dividiram o premio de melhor ator.

Veja todos os vencedores clicando AQUI

O cineasta Roberto Farias foi o homenageado da noite. Durante a entrega dos prêmios foram exibidos trechos dos varios filmes que dirigiu, como Assalto ao trem pagador, Pra frente Brasil e Roberto Carlos em Ritmo de Aventura.