17.5.16















TAPETE VERMELHO - Foi uma estreia retumbante. "Aquarius", o representante do Brasil no Festival de Cannes, foi muito bem recebido pela crítica internacional e ganhou aplausos na sessão exclusiva para os jornalistas. O filme do diretor Kléber Mendonça recebeu críticas muito mais calorosas que "Julieta", de Pedro Almodóvar, exibido no mesmo dia. Mas foi para a estrela Sonia Braga os maiores elogios. O jornal "The Guardian" afirma que ela merece ganhar um Oscar por sua performance. O "The Observer" diz que será uma decepção se ela não ganhar o prêmio de melhor atriz do festival. O "Le Monde" compara a atriz a Anna Magnani, uma lendária atriz italiana. O fato é que, com mais de 60 anos, Sonia Braga ainda tem no exterior, o mesmo tratamento de estrela dos tempos de "Dona Flor" e "Gabriela".

Uma grande sacada do diretor Kleber Mendonça convidar a estrela Sonia Braga para protagonizar seu segundo filme, depois do sucesso de "O som ao redor", que recebeu excelentes críticas na Europa e Estados Unidos. União perfeita entre o diretor em ascensão e a estrela consagrada. As críticas e o modo como Sonia Braga foi recebida em Cannes mostram o quanto ela tem prestígio internacional.

A pergunta que não quer calar: por que Sonia Braga é tão esnobada no Brasil? Para ser mais claro: por que a TV Globo esnoba Sonia Braga? Ela nunca é chamada para fazer novelas ou outros produtos da emissora. Alegam que ela cobra mais do que as outras atrizes. Ora bolas! Ela é uma estrela internacional!

O posicionamento político da equipe, na sessão de estreia, foi um erro estratégico no lançamento do filme. Os artistas, ao exibirem cartazes defendendo Dilma Rousseff e o PT, dividiram o público brasileiro. Agora existem os que são a favor de Aquarius e os que são contra Aquarius. A equipe do filme devia ter se concentrado apenas na produção artística. Uma pena. Eles envolveram o filme numa polêmica totalmente desnecessária. 


  

Nenhum comentário: