17.2.15

















EVOÉ - O momento mágico do carnaval 2015 no Rio foi o desfile do Cacique de Ramos, no centro da cidade. Foi realmente incrível. É um bloco de empolgação que desfilou pela primeira vez no carnaval de 1961 e nunca mais parou. Marcou época com seus desfiles que arrastaram multidões e fizeram a festa de diferentes gerações de foliões cariocas. O grupo viveu um período de ostracismo, na época que o César Maia era prefeito, mas nunca deixou de marcar presença na folia carioca. César Maia, durante o seu (des)governo, perseguia o carnaval de rua. Dificultava a vida dos blocos, não dava autorizações para desfiles. Ele queria que o carnaval do Rio ficasse restrito ao sambódromo. Essa explosão do carnaval de rua, que acontece nos dias de hoje, tem muito a ver com o Eduardo Paes, que gosta da folia e liberou geral. Agora o Cacique está de volta aos bons tempos, trazendo verdade, alma e paixão a folia carioca. 

O ponto forte do Cacique de Ramos é a música. O bloco sempre investiu numa ala de compositores com talento. A bateria é muito bem ensaiada, com ótimos percussionistas e ritmistas. Eles tem orgulho pelo fato de que alguns dos maiores sucessos do carnaval do Rio sejam músicas que surgiram nos seus desfiles, como Vou Festejar e Coisinha do pai, que foram gravadas por Beth Carvalho. Além de "Caciqueando", o hino oficial do bloco. Quando eles tocam essas músicas durante o desfile é de ficar arrepiando, por conta da vibração que brota dos instrumentistas e dos integrantes do grupo. 

O Cacique de Ramos é o maior...


Nenhum comentário: