17.5.15



Você não pode mudar o vento, mas pode ajustar as velas para chegar onde quer.


MAD MAX É O MÁXIMO - Um filme sobre o nada, mas com impressionante conteúdo cinematográfico. Uma gigantesca sequência de ação, com a violência extrema levada às últimas consequências. Às vezes parece a filmagem de um apoteótico desfile de escola de samba. Por trás do seu aparente vazio, um denso discurso filosófico sobre a existência do homem, a luta pelo poder, a solidão, a tensão no relacionamento entre homens e mulheres. Tudo narrado com muita adrenalina em forma de porrada, perseguições, tiroteios, explosões e um vigoroso rigor estético. A estética do filme é um show à parte. Cenários, maquiagens, locações, fotografia e figurinos buscam retratar um inferno para onde, teoricamente, caminha a humanidade. Um exercício de cinema. Um filme de arte como há muito o cinema não exibia. Pelo menos não de forma tão bem sucedida. Aparentemente vazio, quase sem diálogos, Mad Max é um filme que encanta, emociona e fascina. Mas também é um filme que irrita aqueles que não entendem  que o cinema também é um espaço para experimentações artísticas.








Nenhum comentário: