12.8.15




O oposto de falar não é escutar. O oposto de falar é esperar.



O VOZEIRÃO ESTÁ DE VOLTA - Um dos maiores cantores brasileiros de todos os tempos está lançando disco novo. E o Brasil precisa parar tudo e aplaudir de pé desse gênio do nosso cancioneiro popular. Ele, Toni Platão, está de volta. Com sua voz inconfundível e sua charmosa personalidade artística. O astro da MPB está com a voz cada vez melhor. No suingue, na interpretação, na potência vocal e no jeito de cantar ele vai de Pat Boone a Nelson Gonçalves, passando por Sinatra, João Gilberto e Tim Maia, sem que em nenhum momento ele deixe de ser o bom e velho Toni Platão.

Com relação ao seu trabalho anterior, o novo CD, chamado LOV (assim mesmo, sem o "E", que pode ser traduzido por "amô") produzido por Berna Ceppas, tem uma sonoridade totalmente diferente. Uma sonoridade cool, dramática e teatral. Voz e arranjos se harmonizam como se feitos um para o outro. E uma presença marcante de sax, trombones e trumpetes. 

"O Berna me cercou de pessoas fantásticas, que compraram a história e vieram fazer o disco no amor. O nome do disco vem disso, do trabalho e do amor com que todos se envolveram. O parto foi longo e doloroso, mas valeu a pena", diz Toni, orgulhoso do seu novo rebento.


E o que dizer do repertório? Bem...  Toni Platão arrasa na interpretação de Volta por cima, o clássico samba-canção de Paulo Vanzolini. Ele praticamente reescreve a canção com seu jeito de cantar. O mesmo se pode dizer de I never cry, uma antiga balada do Alice Cooper, que ele (en)canta acompanhado apenas de um violão elétrico. É um momento mágico de um CD que é todo magia. Você não sabe o que te espera, composição de Toni Platão em parceria com Cabelo, é uma das faixas mais bacanas. Uma canção popular, divertida, radiofônica e suingada onde Platão tem a oportunidade de soltar o seu lado Reginaldo Rossi, sem medo de ser feliz. Magia negra, de Donni Araújo, é um saleroso hit com uma pegada latina que é puro deleite para os ouvidos. Tem também uma versão de My cherie amour, a irresistível  balada de Stevie Wonder, e canções feitas para tocar os nossos corações como Já é tarde, de Márvio dos Santos, Agora quem parte sou eu, de Paulo Sérgio e Deve ser isso que se chama amor, de Alvin L. Destaque absoluto é a pungente Dias estranhos, letra e música de Platão, que abre o disco com chave de ouro.

Lov é um CD belíssimo. Daqueles que a gente não consegue parar de ouvir...


Nenhum comentário: