4.3.15





Como culpar o vento pela desordem feita se fui eu que esqueci as janelas abertas!



Nenhum comentário: