31.12.07





A paciência é a mais proveitosa virtude.


Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, Com outro número e outra vontade de acreditar, que daqui para diante vai ser diferente.

Carlos Drummond de Andrade





Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

(Carlos Drummond de Andrade)








OS GAYS MAIS DE 2007 - Quem foram os gays mais influentes do ano? Aqueles que deram muita pinta. Que foram criativos, inteligentes, divertidos. Os que fizeram de 2007 um ano mais cor de rosa. A lista, que é pura comédia, foi publicada AQUI


28.12.07




A gratidão não somente é a maior das virtudes, mas é a origem de todas as outras.


DEIXEM O RIO SÃO FRANCISCO EM PAZ – Eu apoio Letícia Sabatella e o Bispo Dom Luiz Cappio. Sou totalmente contra a transposição do Rio São Francisco para irrigar as terras do sertão nordestino. Se Deus quisesse que o sertão tivesse água teria feito um rio na região. Simples assim, como diz aquele anúncio da OI. Acho que a transposição não vai acabar com a seca no nordeste. Vai acabar secando o rio que já tem muitos problemas correndo no seu curso natural.


É um absurdo que, em pleno século 21, políticos brasileiros ainda usem a seca do nordeste como argumento para seus projetos megalomaníacos na região. Por causa da seca já foi criada a Sudene, que despejou milhões de dólares na região desde os anos 60 e nunca resolveu o problema por que os recursos sempre foram embolsados pelo podersoso da região. Também por causa da seca foi criado o Banco do Nordeste do Brasil. Milhões de dólares já foram gastos pelo Banco e os problemas derivados da seca nunca são resolvidos.


Do ponto de vista político o problema da seca é um assunto velho, antigo, ultrapassado. Os problemas da seca do nordeste é assunto dos anos 50 do século passado. A região nordeste tem condições de compensar os problemas da seca com seus próprios recursos. A região tem um litoral belíssimo, praias paradisíacas, uma cultura fantástica, gastronomia própria e riquezas naturais. Os prejuízos que os estados do nordeste têm com a seca podem muito bem ser recuperados pelo turismo. Até porque a região nordeste fica mais perto da Europa e dos Estados Unidos, e podem atrair com mais facilidade turistas endinheirados do chamado primeiro mundo.


É inadmissível que, em pleno século 21, o governo brasileiro ainda se utilize da seca do sertão nordestino como plataforma para delírios políticos. Isso só mostra como o governo brasileiro, os políticos e os partidos são agarrados ao passado. Eles insistem em ignorar a existência da internet, do telefone celular, da moderna medicina. Eles se comportam como se o tempo não tivessem passado. Gostam de manter as coisas no atraso, pois isso é vantajoso para eles. As questões de segurança pública, os projetos sociais, as obras faraônicas. Tudo é administrado como se nós ainda estívessemos em meados do século 20.


A seca é uma característica da região nordeste e deve ser assumida como tal. Mas os políticos nordestinos não perdem a oportunidade de usar esse aspecto da região para angariar recursos do governo federal para seus delírios de grandeza. Por trás da transposição das águas do São Francisco está mais um esquema de interesses escusos de políticos pilantras do nordeste.




CIRO GOMES É UM JECA – Um dos articuladores do projeto da transposição das águas do São Francisco junto ao governo é o deputado Ciro Gomes. Apesar de ter nascido em Pindamonhangaba, em São Paulo, Ciro foi criado e fez carreira política no Ceará, onde é considerado um exemplo de político moderno. Kakakaka! Aquele seu ar pedante e aquela jequice disfarçada em erudição impressionam os eleitores cearenses que votam nele massissamente. Foram capazes até de, por osmose, elegerem o irmão de Ciro governador do estado. Mas, por trás daquela pretensão de ser moderno, está um político antigo, conservador, neo-oligarca, que quer fazer história no seu curral eleitoral como o homem que levou água ao sertão. Com uma obra faraônica Ciro Gomes pretende não só mudar o destino do povo cearense como resolver o seu complexo por ter um pau pequeno.


O cearense é o povo mais recalcado do Brasil. Meus amigos que nasceram no Ceará que me perdoem, mas é verdade. O cearense é cheio de complexo com relação ao restante do povo brasileiro. Ele se acha feio, baixo, de cabeça grande, burro e atrasado. E fica querendo compensar esse complexo acreditando que é melhor, mais inteligente, mais esperto, mais gostoso. O cearense quer tudo para ele. O Ciro Gomes é um homem que traduz muito bem esse jeito de ser do povo do Ceará.


23.12.07




A mais fiel de todas as companheiras da alma é a esperança.