26.11.19

A canção de Lia
















I LOVE LYA - Biscoito fino para as massas. Assim foi a apresentação da cirandeira Lia de Itamaracá no programa Conversa com Bial, na segunda-feira, 25 de março. Por conta do lançamento do seu novo disco "Ciranda sem fim" a lendária artista pernambucana teve uma rara oportunidade de mostrar sua graça e talento para o grande público. Foi um momento muito especial da TV. Conduzida por Pedro Bial Lia encantou o público contando ótimas histórias. A participação do DJ Dolores foi muito especial. Quanto ao CD vale a pena ouvir sem parar... 


21.11.19

Eternamente Nova York



UM DIA DE CHUVA EM NOVA YORK - Não existem palavras para definir ou descrever o que é o novo filme de Woody Allen. Mais uma vez o diretor oferece ao público uma obra-prima. Um deleite para quem ama o cinema como expressão artística. Um filme belíssimo do primeiro ao último take. Esqueçam o Coringa. "O filme do ano" é o "Um dia de chuva em Nova York. Um trabalho refinado, delicado, classudo... De um romantismo que parecia não existir mais. Tudo ali é conduzido para ofertar ao público um trabalho movido por um requinte artístico e intelectual. Perfeita harmonia entre roteiro e direção. E um elenco de ótimos atores. Elle Fanning (foto) é a mocinha atrapalhada da história...

17.11.19

O fotógrafo elegante













TERRY O´NEIL: O FAVORITO DAS ESTRELAS - Soube da morte deste fotógrafo através de uma postagem do Elton John no Instagram. Terry fez fotos incríveis do Elton e de artistas como Rolling Stones, Sinatra, Bowie e Rachel Welch no auge de suas carreiras. Terry também fez uma das fotos mais célebres de Brigitte Bardot. Na década de 1960 ele reinou absoluto com sua câmera e fez fotos marcantes dos ícones que, naquele momento, estavam revolucionando o século 20. 

Sobre ele Elton John escreveu: 

Terry O’Neill took the most iconic photographs of me throughout the years, completely capturing my moods. He was brilliant, funny and I absolutely loved his company. A real character who has now passed on. RIP you wonderful man. Love, Elton

Curiosamente, faz dez dias, morreu Robert Freeman, outro ícone da fotografia daquela época, famoso por ter feito a capa de vários discos dos Beatles. 

13.11.19

A história de Jean Seberg

















A ESTRELA REBELDE - Entra em cartaz no dia 13 de dezembro nos Estados Unidos o filme "Seberg", do diretor Benedict Andrews. O filme é sobre a vida da atriz americana Jean Seberg, famosa pelo papel da mocinha no "Acossado", de Jean Luc Godard, fenômeno cinematográfico dos anos 60, que deu início ao movimento da nouvelle vague, a "nova onda" do cinema francês. Ela também foi protagonista do clássico "Bom dia, tristeza", dirigido por Otto Preminger, adaptação do livro de Françoise Sagan. Foram filmes que transformaram a atriz numa espécie de símbolo da década de 1960, tempo de muitas revoluções políticas, sociais e culturais. 

Vivendo de acordo com o seu tempo, a atriz se envolveu na luta pelos direitos civis e pela igualdade racial nos Estados Unidos. Se engajou no movimento dos "Panteras Negras" e participou da luta pelos direitos dos negros. Acabou tendo um envolvimento amoroso com o ativista Hakim Jamal, primo de Malcon X. Sua atuação no movimento racial chamou atenção do FBI e de conservadores do serviço secreto americano. Eles a viam como uma traidora por ela ser branca e estar lutando ao lado dos negros. A atriz sofreu perseguições, atentados e ameaças que a deixaram muito deprimida. No dia 30 de agosto de 1979 ela foi encontrada morta dentro do seu automóvel estacionado às margens do rio Sena, em Paris. A causa da morte teria sido um excessiva dose de barbitúricos. Tinha apenas 40 anos.

Kristen Stewart é quem interpreta Jean Seberg no filme produzido pela Amazon. Veja o trailer a seguir:



10.11.19

Quem foi Nino Ferrer?



A RUA MADUREIRA - Nino Ferrer foi um cantor franco-italiano que fez sucesso nos anos 60 e 70. Chegou ao topo das paradas de sucesso em alguns momentos, apesar de uma carreira irregular. No seu repertório há uma curiosidade. Fã da Bossa Nova ele compôs e gravou uma música nesse estilo musical, com referências ao Brasil. A música chama-se "La rua Madureira" e narra a paixão do cantor por uma moça brasileira, que morava em Madureira, que a letra descreve como "um lugar que nunca vou esquecer, apesar de nunca ter estado lá". A canção descreve uma paixão sensual que acaba de forma trágica, depois de um acidente de avião. A música é ótima e foi o maior sucesso da carreira deste cantor.






9.11.19

O patrono da abolição






DE VOLTA AO RIO - O ator Déo Garcez tem uma excelente atuação na peça "Luiz Gama" vivendo o poeta abolicionista nascido em Salvador. O ator está muito à vontade no papel e sua peça é uma aula sobre a história do Brasil. A dramaturgia tem uma linguagem curiosa e consegue contar a vida do personagem e, ao mesmo tempo, contextualizar a trajetória de vida da população negra no Brasil. De volta ao teatro Laura Alvim as terças e quartas.