19.12.19

Alain Barrière est mort









A VOZ ROMÂNTICA - Nos anos de 1960 Paris era o centro do mundo. O existencialismo era a corrente filosófica mais influente naqueles tempos de guerra fria e havia a beleza de Brigitte Bardot, os filmes de Godard, a moda de Chanel e Dior e o charme das canções francesas.  Foi no frenético ano de 1964, uma época de muita agitação, que o jovem Alain Barrière estourou nas paradas de sucesso com "Ma Vie", canção romântica com toque existencialista, bem no espírito da época. Com sua voz sedutora e estampa de galã, conquistou seu público. Morreu dia 18 de dezembro de 2019, um mês depois de completar 84 anos.


26.11.19

A canção de Lia
















I LOVE LYA - Biscoito fino para as massas. Assim foi a apresentação da cirandeira Lia de Itamaracá no programa Conversa com Bial, na segunda-feira, 25 de março. Por conta do lançamento do seu novo disco "Ciranda sem fim" a lendária artista pernambucana teve uma rara oportunidade de mostrar sua graça e talento para o grande público. Foi um momento muito especial da TV. Conduzida por Pedro Bial Lia encantou o público contando ótimas histórias. A participação do DJ Dolores foi muito especial. Quanto ao CD vale a pena ouvir sem parar... 


21.11.19

Eternamente Nova York



UM DIA DE CHUVA EM NOVA YORK - Não existem palavras para definir ou descrever o que é o novo filme de Woody Allen. Mais uma vez o diretor oferece ao público uma obra-prima. Um deleite para quem ama o cinema como expressão artística. Um filme belíssimo do primeiro ao último take. Esqueçam o Coringa. "O filme do ano" é o "Um dia de chuva em Nova York. Um trabalho refinado, delicado, classudo... De um romantismo que parecia não existir mais. Tudo ali é conduzido para ofertar ao público um trabalho movido por um requinte artístico e intelectual. Perfeita harmonia entre roteiro e direção. E um elenco de ótimos atores. Elle Fanning (foto) é a mocinha atrapalhada da história...

17.11.19

O fotógrafo elegante













TERRY O´NEIL: O FAVORITO DAS ESTRELAS - Soube da morte deste fotógrafo através de uma postagem do Elton John no Instagram. Terry fez fotos incríveis do Elton e de artistas como Rolling Stones, Sinatra, Bowie e Rachel Welch no auge de suas carreiras. Terry também fez uma das fotos mais célebres de Brigitte Bardot. Na década de 1960 ele reinou absoluto com sua câmera e fez fotos marcantes dos ícones que, naquele momento, estavam revolucionando o século 20. 

Sobre ele Elton John escreveu: 

Terry O’Neill took the most iconic photographs of me throughout the years, completely capturing my moods. He was brilliant, funny and I absolutely loved his company. A real character who has now passed on. RIP you wonderful man. Love, Elton

Curiosamente, faz dez dias, morreu Robert Freeman, outro ícone da fotografia daquela época, famoso por ter feito a capa de vários discos dos Beatles. 

13.11.19

A história de Jean Seberg

















A ESTRELA REBELDE - Entra em cartaz no dia 13 de dezembro nos Estados Unidos o filme "Seberg", do diretor Benedict Andrews. O filme é sobre a vida da atriz americana Jean Seberg, famosa pelo papel da mocinha no "Acossado", de Jean Luc Godard, fenômeno cinematográfico dos anos 60, que deu início ao movimento da nouvelle vague, a "nova onda" do cinema francês. Ela também foi protagonista do clássico "Bom dia, tristeza", dirigido por Otto Preminger, adaptação do livro de Françoise Sagan. Foram filmes que transformaram a atriz numa espécie de símbolo da década de 1960, tempo de muitas revoluções políticas, sociais e culturais. 

Vivendo de acordo com o seu tempo, a atriz se envolveu na luta pelos direitos civis e pela igualdade racial nos Estados Unidos. Se engajou no movimento dos "Panteras Negras" e participou da luta pelos direitos dos negros. Acabou tendo um envolvimento amoroso com o ativista Hakim Jamal, primo de Malcon X. Sua atuação no movimento racial chamou atenção do FBI e de conservadores do serviço secreto americano. Eles a viam como uma traidora por ela ser branca e estar lutando ao lado dos negros. A atriz sofreu perseguições, atentados e ameaças que a deixaram muito deprimida. No dia 30 de agosto de 1979 ela foi encontrada morta dentro do seu automóvel estacionado às margens do rio Sena, em Paris. A causa da morte teria sido um excessiva dose de barbitúricos. Tinha apenas 40 anos.

Kristen Stewart é quem interpreta Jean Seberg no filme produzido pela Amazon. Veja o trailer a seguir:



10.11.19

Quem foi Nino Ferrer?



A RUA MADUREIRA - Nino Ferrer foi um cantor franco-italiano que fez sucesso nos anos 60 e 70. Chegou ao topo das paradas de sucesso em alguns momentos, apesar de uma carreira irregular. No seu repertório há uma curiosidade. Fã da Bossa Nova ele compôs e gravou uma música nesse estilo musical, com referências ao Brasil. A música chama-se "La rua Madureira" e narra a paixão do cantor por uma moça brasileira, que morava em Madureira, que a letra descreve como "um lugar que nunca vou esquecer, apesar de nunca ter estado lá". A canção descreve uma paixão sensual que acaba de forma trágica, depois de um acidente de avião. A música é ótima e foi o maior sucesso da carreira deste cantor.






9.11.19

O patrono da abolição






DE VOLTA AO RIO - O ator Déo Garcez tem uma excelente atuação na peça "Luiz Gama" vivendo o poeta abolicionista nascido em Salvador. O ator está muito à vontade no papel e sua peça é uma aula sobre a história do Brasil. A dramaturgia tem uma linguagem curiosa e consegue contar a vida do personagem e, ao mesmo tempo, contextualizar a trajetória de vida da população negra no Brasil. De volta ao teatro Laura Alvim as terças e quartas.

30.10.19

Leitura obrigatória


O LIVRO É O MELHOR AMIGO DO HOMEM - Um novo livro de Ruy Castro é sempre um presente para os amantes da boa literatura. Um dos mais talentosos escritores brasileiros, ele tem a capacidade de transformar a leitura dos seus textos em momentos de grande prazer para o leitor. Dia 21 de novembro chega às livrarias "Metrópole à beira-mar" uma crônica sobre a vida no Rio de Janeiro nos anos 20. No livro ele conta tudo o que aconteceu entre o Carnaval de 1919 e a revolução de 30. Que tal?

29.10.19

O desertor









UM MITO DO CINEMA - Ícone do cinema americano Montgomery Clift conquistou o público com filmes como "A um passo da eternidade", "Árvore da Vida" e "Por um lugar ao sol". Junto com Marlon Brando e James Dean formou o trio de astros atormentados que fascinou o público nos tempos da chamada fase áurea do cinema americano. Seu último filme, rodado em 1966, foi "O desertor", um suspense realizado na Europa. Quando o filme estreou no dia 9 de novembro de 1966 o ator já tinha morrido. Em julho daquele ano, com apenas 45 anos, ele foi encontrado morto em seu apartamento, aparentemente vítima de uma mistura de álcool e drogas.  O filme foi dirigido pelo lendário Raoul Levy, famoso por ter produzido filmes de sucesso com Brigitte Bardot como "E Deus criou a mulher" e "Babette vai à guerra".  Mas, logo após lançar "O desertor", o diretor se suicidou com um tiro durante o revéillon de 1966.  Seu filme anterior, sobre Marco Polo, havia sido um fracasso e dado enorme prejuízo. Atormentado com as dívidas e com a morte prematura do astro do seu último filme, ele não resistiu à pressão. As tragédias envolvendo tanto o astro quanto o diretor, fizeram de "O desertor" um filme cultuado pelas amantes do cinema. Agora o filme está disponível no Youtube. Vale a pena assistir.



17.10.19

Elton por ele mesmo



VIDA LOUCA VIDA - O universo da música pop não fala em outra coisa: o lançamento da autobiografia de Elton John. O livro é um relato das aventuras e desventuras do cantor, segundo seu próprio ponto de vista. A relação intensa com sua mãe que, quando o menino tinha apenas oito  lhe disse: filho, você é gay. O encontro com seu parceiro de toda a vida, o heterossexual Bernie Taupin, que escreveu quase todas as letras de suas músicas. Num trecho do livro Elton comenta sobre sua mania de se apaixonar por rapazes heterossexuais. Aconteceu com Bernie, mas o desencontro amoroso da juventude resultou numa grande amizade e numa grande parceria. Outro destaque do livro são as observações sobre outros artistas feitas com humor e irreverência. O livro ainda está sem data de lançamento no Brasil. 



16.10.19

Angela Davis está entre nós



UM SIMBOLO DA CULTURA AMERICANA - Ela foi musa dos Beatles e dos Rolling Stones. Angela Davis, ativista tanto do movimento negro quanto do movimento feminista, deu o que falar na década de 1970. Numa época de grandes mudanças na sociedade americana que impactavam todo o mundo ocidental, Angela Davis deu o que falar e provocou polêmicas como líder do grupo Panteras Negras. Em 1970 foi presa injustamente pelo FBI, o que provocou as reações mais diversas possíveis. A mídia a definia como "a cara da esquerda no mundo". Que tal? Em sua homenagem o grupo Rolling Stones gravou a música "Sweet black angel", no LP lançado em 1972 "Exile on main street". Na mesma época John Lennon e Yoko Ono também resolveram se posicionar a favor da ativista e gravaram juntos a canção "Angela".  Era um tempo em que a "atitude" era essencial para a vida das pessoas. 
Angela Davis está no Brasil  para uma série de palestras em São Paulo e no Rio. 

Leia mais sobre Angela Davis AQUI. 

Escute as canções em homenagem a Angela Davis.








10.10.19

Salve o Chico




APESAR DE VOCÊ - Vem aí o novo livro de Chico Buarque. A editora Companhia das Letras acaba de anunciar que o novo romance do autor, batizado de "Essa Gente", estará nas livrarias a partir de 14 de novembro. No livro um escritor decadente passa por um deserto criativo e emocional enquanto o Rio de Janeiro colapsa ao seu redor. Em seu sexto romance, Chico Buarque constrói uma engenhosa trama em cujas entrelinhas se revelam as contradições do Brasil de agora. Com clima de romance policial, a história é ambientada no bairro do Leblon. Será um romance autobiográfico? No caso dos grandes escritores, quase sempre é...




9.10.19

Tempero Drag









A INCRÍVEL RITA VON HUNTY - Existe vida inteligente no universo das drag queens. Sem abandonar o humor, o deboche e a irreverência Rita Von Hunty vem se revelando a melhor comentarista de política da internet. Seria a senhorita Von Hunty uma nova Miriam Leitão? O fato é que ela diverte, informa e educa através dos vídeos que posta no seu canal Tempero Drag. Com um texto muito mais inteligente do que se costuma encontrar no You Tube, ela fala sobre política, filosofia, sociologia, religião e comportamento com propriedade e talento. Sempre de um jeito sofisticado e elegante, mas sem perder aquele humor venenoso que caracteriza os travestis mais talentosos.

Rita Von Hunty é, na verdade, o professor de Letras Guilherme Terreri Lima Pereira, de 28 anos, também formado em artes cênicas pela Unirio. Guilherme criou sua personagem em 2013, apenas para deleite dos amigos. Mas o sucesso foi tanto que começou a fazer apresentações em clubes e boates. Atualmente, com o sucesso do canal no You Tube costuma fazer palestras e cursos de maquiagem para mulheres.

Veja a seguir dois grandes momentos da cronista política que vem abalando as estruturas dos conservadores em geral.







Swinging Sixties




ERA UMA VEZ EM LONDRES - O filme de Quentin Tarantino "Era uma vez na América", com a sua versão muito pessoal da tragédia que se abateu sobre Sharon Tate, trouxe de volta os anos da década de 1960, com todo o charme e o estilo que envolve aquele período histórico. E quanto mais olhamos para aqueles tempos, mais temos a impressão que a vida parecia mais interessante naquela época. Sharon Tate conheceu Roman Polanski no auge da chamada "Swinging London", quando a atriz americana foi até lá filmar "A dança dos vampiros". A "Swinging London" foi um movimento cultural e artístico que explodiu em Londres a partir da metade dos anos 60, influenciado pelo sucesso dos Beatles e pela recuperação econômica da Inglaterra no período pós segunda guerra. Foi o tempo de um culto à modernidade tendo o hedonismo como estilo de vida. O período de uma intensa e instigante produção artística e intelectual que influenciou todo o mundo. 

O documentário "Tonite Let´s All Make Love in London", dirigido por Peter Whitehead é um registro do que foram aqueles dias de alegria, loucura e criatividade na capital inglesa. O filme tem trilha sonora do Pink Floyd e a participação de personalidades que marcaram o movimento como Julie Christie, Eric Burdon, David Hockney, Vanessa Redgrave, Michael Caine, Mick Jagger, Lee Marvin, Terence Stamp, além dos celebrados Roman Polanski e Sharon Tate.

Peter Whitehead (foto) morreu recentemente, em 10 de junho, aos 82 anos. Foi ele mesmo um símbolo da "Swinging London", movimento que registrou como fotógrafo e cineasta. Um de seus filmes mais famosos é "Rolling Stones: Charlie is my darling", registro da turnê dos Stones na Irlanda, em 1965, no momento em que a música Satisfaction se tornou sucesso mundial. Veja um trecho do filme.





3.10.19

O novo Cartola



MENTIRAS DIGITAIS - Um dos grandes atores brasileiros, Flavio Bauraqui já fez vários espetáculos onde se fez necessário usar seus dotes de cantor. Em vários de seus espetáculos teve que soltar a voz e cantar. Num de seus maiores sucessos no teatro ele interpretou o papel de Cartola. Essa convivência com a música, que surgiu a partir do teatro, incentivou o artista a explorar seus dotes de cantor e compositor. Afinal, ninguém interpreta Cartola impunemente. Sendo assim Bauraqui decidiu se lançar como cantor. Dia 6 de outubro ele dá o pontapé inicial no show "Itinerante" onde interpreta canções de sua própria autoria e músicas de Cartola, Rita Lee e outros compositores. O show vai acontecer no "Galpão Ladeira das Artes", no Cosme Velho. Uma das músicas do repertório é "Mentiras digitais" que ele canta no clipe a seguir. 



Leitura obrigatória



O REI DA SELVA - Márcio Souza, um dos mais talentosos escritores brasileiros de todos os tempos, sabe tudo sobre a Amazônia. Afinal, ele nasceu lá. Romancista, jornalista e cientista social, sempre teve a Amazônia como personagem principal da sua produção intelectual. Muito antes da região se tornar "o assunto do momento". Portanto, seu mais recente livro "História da Amazônia" está longe de ser uma publicação oportunista. Pelo contrário. É uma publicação absolutamente necessária. O escritor situa a Amazônia como uma região do planeta que fascina pela sua vegetação, mistérios, povos e lendas. E escreve com o conhecimento de quem sempre ali viveu e estudou e pesquisou tudo o que envolve o lugar, o povo e a cultura.  

28.9.19

A bela BB









BRIGITTE BARDOT COMPLETA 85 ANOS - Um eterno símbolo do cinema francês. Se dedicou ao cinema apenas durante 21 anos de sua vida. Seu primeiro filme estreou em 1952, o último  em 1973. Sua beleza e personalidade marcaram a história do cinema. Na década de 1960, enquanto o mundo vivia a maior revolução cultural de sua história, ela reinou absoluta como a diva inatingível das telas de cinema. Filmou com os grandes cineastas do seu tempo e deixou um legado de 51 filmes.  Alguns deles  clássicos definitivos como "O desprezo", de Jean-Luc Godard, "A verdade", de Henri-Georges Clouzot, "Viva Maria", de Louis Malle  e "E Deus criou a mulher", de Roger Vadim, com quem foi casada. No início da década de 1970 abandonou a carreira para se dedicar aos animais. Nunca fez plástica e deixou-se envelhecer naturalmente. 

Sobre o aniversário de 85 anos Brigite Bardot disse: "Experimentei a alegria de viver da década de 1960, liberdade, elegância, loucura. Tínhamos o direito de viver como queríamos, fizemos amor sem o pânico da Aids, dirigimos na velocidade que desejávamos sem cinto, sem capacete de moto, não precisava de ninguém na Harley Davidson! Fumamos, fizemos amor, dirigimos rapidamente, pudemos beber ..." 
















26.9.19

50 anos de Abbey Road




BEATLES FOREVER - No dia 26 de setembro de 1969 foi lançado Abbey Road, o penúltimo álbum dos Beatles. Para celebrar os 50 anos do disco Paul McCartney publicou em sua página no Facebook um videoclipe da música "Here comes the sun", a primeira faixa do lado b do LP. Há quem diga que Abbey Road é o melhor disco da banda. Mas é muito difícil definir o que é "o melhor" numa banda que só lançou ótimos discos.  
Veja aqui:









22.9.19

Deneuve em cartaz


SALVE O CINEMA FRANCÊS - Como resistir a um bom filme francês? Está em cartaz um filme que ninguém deve perder. Adeus à noite tem o espírito e a alma das melhores produções francesas. O diretor é um clássico daquela cinematografia: o extraordinário André Techiné, que dirigiu "Rosas Selvagens" e "Minha estação preferida". Um artista capaz de arrastar admiradores até o cinema apenas pela sua assinatura na direção. A estrela é Catherine Deneuve, e apenas sua presença já vale o preço do ingresso. O resultado desse encontro significa duas horas de bons momentos na sala do cinema.     


15.9.19

Confraria do Vento




LITERATURA VIVA - Assim como o cinema pernambucano, que vive dias de glória produzindo filmes como "Bacurau" e "Divino Amor", a literatura da terra natal de Nelson Rodrigues também se mostra viva e criativa com o trabalho de escritores como Fabiano Costa Coelho e Raimundo Carrero, entre outros. Agora, com o lançamento do livro "Dias Infanto", o nome de Esdras Bezerra surge como uma nova promessa da literatura brasileira.  Com  uma narrativa temperada com elementos do Movimento Armorial, seu livro conta a história  da menina Brandina que levou uma queda de um muro, bateu a cabeça, perdeu a memória e teve que recomeçar a viver a partir dessa idade. É um romance inteligente e feminista que tem tudo para ganhar as telas do cinema. O lançamento é da editora Confraria do Vento.