28.1.12


































A FESTA DO REI DAVI - A Rede Record reuniu elenco e equipe técnica num cinema do New York City Center para assistir ao primeiro capítulo da minisérie Rei Davi. Com projeção em tela grande de alta definição, o capítulo ficou ainda mais emocionante. Com ótimo texto de Vivian de Oliveira e uma direção correta de Edson Spinello, Rei Davi é um belo espetáculo. Tudo está muito bem cuidado: os cenários, figurinos, a atuação do elenco, a trilha sonora. Merecem destaque as locações: cenários naturais filmados no Canadá e no interior de Minas. O diretor caprichou nas filmagens e na fotografia, oferecendo um visual fascinante para o espectador.


Na festa que rolou depois da exibição o elenco não conseguia disfarçar a sensação de dever cumprido. O ator Rômulo Estrela (sorridente na primeira foto lá em cima) não cansava de repetir, com os olhos em lágrimas: eu estou muito feliz... eu estou muito feliz... eu estou muito feliz... Rômulo nasceu no Maranhão, começou a carreira fazendo pequenos papéis na Globo e se destacou na Record como Draco, na novela Caminhos do Coração, um mutante capaz de se tranformar numa tocha de fogo. Na minissérie ele interpreta Adriel, um soldado habilidoso que é antagonista de Davi.


Iran Malfitano também não escondia seu entusiasmo. "Ficou parecendo Hollywood", argumentava ele para os colegas Roger Gobeth e Daniel Ávila, que compartilhavam o entusiasmo. Havia um clima de muita felicidade entre os artistas e equipe técnica. Todos muito confiantes no trabalho que estavam fazendo. Renata Dominguez, que faz Beta-Sebá, o grande amor de Davi, quando soube dos números do Ibope, logo depois da exibição do capítulo, pegou uma taça de champanhe e vibrou. "Nós ficamos na frente da Globo... e isso é muito bom!". Depois a estrela se dirigiu à pista de dança e se esbaldou ao som da onipresente canção "Ai se eu te pego".









RIO BOSSA NOVA - Desde que li O anjo pornográfico, biografia de Nelson Rodrigues, que Ruy Castro se tornou um dos meus escritores favoritos. Ele tem um texto suave, gostoso de ler, envolvente. Essa semana Ruy Castro lançou um novo livro chamado Rio Bossa Nova, uma espécie de guia sobre bares, boates, residências e praias que foram importantes para a consagração do gênero musical que teve João Gilberto e Tom Jobim como seus principais representantes. Aliás, a Bossa Nova é uma obsessão na vida do Ruy Castro. Pesquisador dedicado, ele já escreveu vários livros sobre o assunto. Depois de Rio Bossa Nova acho que não existe mais nada a ser dito ou escrito sobre a Bossa Nova.



A noite de autógrafos foi no Vizta, o bar do hotel Marina, cujo nome faz um trocadilho com a linda vista para a praia do Leblon. Enquanto Ruy Castro autografava seus livros, o grupo Conexão Rio tocava os maiores sucessos da Bossa Nova. E essa foi a melhor parte do programa. O Conexão Rio é um grupo sensacional, formado por excelentes músicos que tocam com ritmo e paixão. Foi muito prazeroso ouvir o som do Conexão Rio, grupo residente do bar Vizta.



Triste foi chegar em casa, logo depois do show, e saber do desabamento dos prédios no centro do Rio. Triste. Muito triste!


27.1.12




EVOÉ - Brigitte Bardot foi a Madonna da sua época. E o termômetro da popularidade no seu tempo era ser tema de uma marchinha de carnaval. E assim foi com BB, como os íntimos a chamavam. Miguel Gustavo, grande talento da MPB, fez para ela essa marchinha, grande sucesso nos carnavais dos anos 60, na voz do cantor Jorge Veiga. Mas não foi só no carnaval que Brigitte inspirou a música brasileira. Muita gente não sabe, mas a estrela do cinema francês é a personalidade que mais inspirou os compositores brasileiros. De Caetano Veloso a Paulo Ricardo do RPM, passando por Maysa, Dicró, Tomzé, Cazuza e muitos outros compositores fizeram canções que a tiveram como musa.




Brigitte Bardot, Bardot,

Brigitte beijou, beijou.

Lá dentro do cinema,

Todo mundo se afobou.(bis)



BB, BB, BB,

Por que é que todo mundo

Olha tanto pra você?

Será pelo pé?

Não é.

Será o nariz?

Não é.

Será o tornozelo?

Não é.

Será o cotovelo?

Não é.
Você, que é boa e que é mulher,

Me diga então por quê que é.



19.1.12

















EVOÉ! - A temporada pré-carnavalesca da juventude dourada da zona sul começou em grande estilo no sábado com o primeiro ensaio do bloco Me Esquece, sucesso absoluto do carnaval carioca. Ano passado o bloco fez furor com seus ensaios na quadra do Santa Marta. Mas, como esse carnaval não vai ser igual aquele que passou, o Me Esquece está fazendo seus animados ensaios para o desfile de 2012 na quadra do Chapéu Mangueira, começando às quatro da tarde até meia noite. Nem precisa dizer que a quadra, localizada no Alto Leme, ficou pequena para tanta gente animada. O jovem dentista Fernando Lourenço Sérgio, idealizador do bloco, é um folião de mão cheia e sabe cativar a galera em torno do seu carnaval alto astral. O pessoal do Me Esquece sabe que carnaval é música e investe na qualidade musical da sua folia. Assim o ensaio começa com um grupo de pagode de músicos talentosos tocando os grandes hits do samba carioca. Depois o Bloco Brasil entra em cena, com os vocalistas Marco e Priscilla e sua ótima banda atacando de marchinhas e frevos. E só no final a bateria do Me Esquece entra em cena com seu samba nota dez... A animação da quadra se espalhou pelas ladeiras do Chapéu Mangueira, agitando ainda mais os bares e botequins da comunidade, com um alegre e singelo clima de carnaval...



Ano passado um bloco que saiu pela primeira vez causou sensação no Leblon, mas a mídia nem tomou conhecimento, graças a quantidade de eventos carnavalescos que aconteceram na zona sul. Mas esse ano todos devem ficar de olho num bloco chamado "Velosos e Furiosos". É o bloco dos boêmios bonitões e meninas saradas que frequentam o Bar Veloso, no Leblon. Ali é um tradicional point de azaração heterossexual. Em 2011, em plena semana pré-carnavalesca os boêmios resolveram formar um bloco de última hora para agitar o carnaval do Leblon. O sucesso foi absoluto, já que o bloco arrastou uma multidão pelas ruas do bairro. Animados com o resultado da farra carnavalesca, os foliões do bloco "Velosos e Furiosos" resolveram se organizar para o desfile de 2012. Conseguiram vários patrocinadores e estão fazendo uma furiosa divulgação pela internet. Para não causar tumulto nas apertadas ruas do Leblon o bloco vai desfilar em São Conrado. Sergio Major, um dos organizadores, garante que o desfile do "Velosos e Furiosos" vai revolucionar o carnaval de rua do Rio. "Em São Conrado tem muito espaço e os foliões vão poder se divertir à vontade com boa música e muita agitação. Além disso, no nosso bloco não vai ter essa palhaçada de não divulgar a hora para confundir as pessoas. Nós vamos desfilar dia 11 de Fevereiro e o desfile começa a 1 da tarde". Evoé...


17.1.12












A JUSTICEIRA DE OLINDA - Daniel Filho reuniu imprensa, convidados e elenco no Oi Casa Grande para assistir num telão A justiceira de Olinda, um dos episódios do seu seriado As Brasileiras. O programa segue a mesma fórmula do bem sucedido As Cariocas, exibido no ano passado. A justiceira de Olinda conta a história de uma pernambucana arretada, interpretada por Juliana Paes que, numa crise de ciúmes, decepa o bilau do marido, papel de Marcos Palmeira. Ai, que dor! Uma comédia divertida, que parece uma pornochanchada dos bons tempos do cinema brasileiro, e que ganhou um charme todo especial graças às locações que mostram toda a beleza de Olinda e Recife. Juliana Paes caprichou no sotaque pernambucano e, depois desse papel, não precisa provar para ninguém que é a atriz perfeita para fazer a Gabriela, personagem de Jorge Amado, que vai virar novela novamente. Marcos Palmeira também está excelente no papel do machão decepado...


Antes da exibição do episódio Daniel Filho chamou ao palco do Oi Casa Grande parte do elenco de sua série. Foi um festival de beldades lindas e talentosas: Giovana Antonelli, Patrícia Pillar, Juliana Alves, Dira Paes, Claudia Jimenez, Isis Valverde, Maria Flor, Alice Braga, Sophie Charlotte... A atriz Letícia Sabatella chegou atrasada e explicou que "tinha ido no Oi errado". Ou seja, o lançamento foi no Oi Casa Grande e Letícia acabou indo para o Oi Futuro, em Ipanema. Coisas de estrela distraída... No palco com suas brasileiras Daniel improvisou uma espécie de entrevista coletiva, onde ficou fazendo perguntas óbvias para as atrizes que, propositadamente, davam respostas mais óbvias ainda. Perguntas tipo "como você se preparou para o papel", ou "qual a importância desse personagem para sua carreira". Foi o maior deboche público já feio à imprensa que cobre celebridades... Bem feito! Daniel arrancou gargalhadas da platéia quando disse, em tom de brincadeira, que seu próximo projeto será um seriado chamado As Brasileirinhas, com histórias infantis...


Na platéia, dando boas risadas, Diogo Nogueira, Rodrigo Santoro, Giulia Gamm, Geraldo Carneiro, Beth Carvalho, Marcos Paulo e Antonia Pellegrino, Victor Dzenk com Bethy Lagardère, usando um vestido de sua grife, Paulo José, Xuxa Lopes, Leona Cavalli, Suely Franco e mais um monte de gente...


16.1.12



Mauricio Shogun, o mais sexy lutador de MMA, aproveitou o mormaço do domingo pós UFC-Rio para exibir seu peitoral sarado e seu sorriso cativante no calçadão de Ipanema.


A vida é bela...
















DECADENCE AVEC ELEGANCE – O estilista mineiro Victor Dzenk foi a grande atração do SENAC Fashion Business, evento de moda paralelo ao Fashion Rio, que esse ano aconteceu no Jockey Club, na área que fica bem no centro da pista de corrida. Uma gigantesca tenda foi montada no lugar, com dezenas de estandes, salão de desfiles, galerias de arte, escritórios, etc. Uma parte da tenda era aberta, o que permitia uma linda vista para o verde do jardim Botânico com o visual do Cristo Redentor lá no alto. Pouca gente já havia tido a oportunidade de admirar a beleza do Rio daquele ponto de vista, o centro da pista de corridas do Jockey...


Victor Dzenk lançou uma linda coleção toda inspirada na cultura e no encanto do Maranhão. O desfile foi um luxo, com vestidos incríveis e uma exótica trilha sonora de músicas do folclore maranhense, com a presença da cantora Alcione. Mas não foi apenas Mister Dzenk quem brilhou na feira de moda. O artista plástico Andréa Brandani causou sensação com suas esculturas em madeira expostas no jardim. Uma das esculturas mostrava um cristo crucificado. Ao lado dessa escultura havia uma outra cruz onde Brandani convidou vários fashionistas a posar como Cristo e os fotografou para uma futura exposição de “crucificados fashion”. “Minha idéia é que cada um possa sentir por alguns momentos o desconforto e o sofrimento do Cristo na cruz e possa extrair dessa experiência o desejo por uma vida mais cristã”, me disse o artista. .


A jornalista Liliana Rodrigues também causou sensação ao gravar uma série de entrevistas para seu programa na TV. Além do Vitor Dzenk ela entrevistou a socialite Bethy Lagardère, uma mineira que foi modelo do Pierre Cardin e viveu muitos anos em Paris quando casou com um poderoso milionário francês. Bethy contou como foi descoberta pelo costureiro Denner, celebridade da moda brasileira nos anos 70, e lamentou que o acervo do estilista esteja perdido. Por isso, disse que é muito importante que seja criado um museu da moda brasileira.


Hildegard Angel também foi entrevistada por Liliana Rodrigues e fez relatos muito interessantes. Primeiro contou do início de sua carreira, quando foi assistente da mitológica Nina Chaves, a mais famosa colunista social da época. As intrigas, fofocas e ti-ti-tis que envolvem o relacionamento das duas divas do colunismo social foram relatadas pela Hilde com muito humor, para deleite da plateia. Na mesma hora tive a ideia de escrever uma peça sobre o tema. O encontro das duas famosas colunistas num café de Paris... Mas, na seqüência, Liliana abordou o tema do sofrimento familiar da jornalista durante o governo militar. E essa parte foi muito emocionante. Principalmente quando ela contou das dificuldades que teve para conseguir sobreviver àqueles tempos e da crueldade das pessoas que, por ela ter sobrevivido, a acusavam de ter sido condescendentes com os militares... Dramático e triste!


A festa de abertura, no Salão Nobre, foi um luxo. Show de Ed Motta, petiscos deliciosos e champanhe, champanhe, champane...


14.1.12




















REI DAVI – A Rede Record convidou a imprensa e formadores de opinião para o lançamento de sua minissérie Rei Davi, com estreia marcada para o dia 24 de Janeiro. As imagens da minissérie são impressionantes. Em todos os aspectos existe um rigor técnico e artístico. As locações são sensacionais, com filmagens realizadas no Canadá, nas dunas do Rio Grande do Norte, interior de Minas, além dos próprios cenários criados no estúdio. Cenários e figurinos dignos de super produção hollywoodiana. E um elenco de artistas de talento, atuando sob uma direção competente. Quem vê as imagens fica com vontade de assistir à minissérie. (Confira as imagens logo abaixo).



Foi muito gratificante assistir ao trailer da minissérie, pois ali estava o resultado do trabalho de pessoas que admiro, que respeito e que quero muito bem. A começar pela autora, Vivian de Oliveira, com quem tive o privilégio de trabalhar nas novelas Caminhos do Coração, Os Mutantes e Promessas de Amor. Assim como seus colaboradores Altenir Silva e Maria Cláudia de Oliveira, que são amigos muito queridos.



Leonardo Brício, o protagonista, ator de rígida formação teatral, deu uma interpretação shakespeareana ao seu Davi. Alexandre Barillari, com quem trabalhei em Salsa e Merengue faz Urias, um guerreiro que é traído por Davi, num momento de fraqueza. E Rômulo Estrela, um ator maravilhoso, que interpretou o mutante Draco em Caminhos do Coração, faz o papel de Adriel, um guerreiro que trama contra Davi. E tem mais um monte de gente bacana como Paulo Figueredo, André Segatti, Raimundo de Souza, Marly Bueno, Bianca Castanho, Iran Malfitano, Ângela Leal, Rodrigo Phavanello, Claudio Fontana, Isaac Bardavid... O elenco também conta com muita gente nova, pessoal que saiu da oficina de atores da Record.




Foi muito bom rever o Oberdan Júnior, que conheço desde criança. Comediante de grandes recursos, ele faz o Josias, amigo fiel do Rei Davi. (Oberdan e Leo Brício foram colegas do Teatro Tablado e fizeram várias peças dirigidos pelo saudoso diretor Carlos Wilson, o Damião.) Também foi muito bom reencontrar o Vitor Hugo, ator que conheci quando ele estreou na TV, ainda adolescente, na minissérie Sex-Appeal, do meu querido Antônio Calmon.




Vitor Hugo era namorado, na vida real, da Carolina Dieckmann. Os dois formavam um lindo casal. Começaram juntos na TV e logo ela deslanchou na carreira graças à sua beleza e talento. Mas ele teve um problema curioso. Como estreou na TV muito jovem, ainda adolescente, num determinado momento ele ficou com o rosto cheio de espinhas. E parou de ser escalado para papéis na TV porque não havia maquiagem que desse jeito no seu rosto cheio de protuberancias. Aquilo ficava estranho quando em close. Lembro que certa vez eu o encontrei em Ipanema, saindo de uma farmácia, cheio de remédios. E ele me disse que não sabia mais o que fazer para se livrar das espinhas. “Acho que vou desistir da carreira artística”, disse ele, aflito. Mas, o tempo passou, Vitor Hugo cresceu, ficou adulto e as espinhas sumiram do seu rosto. E ele está fantástico na minissérie Rei Davi, no papel de Mefibosete, um guerreiro que sofre um acidente e fica aleijado. Complexado com seu problema físico, não se sente digno do amor de ninguém, mas se apaixona perdidamente por Raquel, papel da atriz Cacau Melo.



Não percam Rei Davi, dia 24 de Janeiro, na Rede Record!