30.4.14















POR UM BRASIL UM POUCO MAIS DO MEU NÍVEL! - Johnny Hooker é uma figura. O cantor e compositor que é a nova sensação da música pernambucana está no elenco de Geração Brasil. Parte do início da novela se passa em Recife e Hooker entrou no elenco graças ao sucesso  do filme Tatuagem, onde fez uma participação cantando a ótima música que compôs para a trilha. Certamente a participação na novela vai impulsionar a carreira do artista que já vem dando o que falar em Recife, com seus shows que misturam boa música, performance teatral e atitude. Na festa de lançamento da novela, quando um repórter perguntou o que queria para o Brasil ele respondeu que queria "um Brasil um pouco mais do meu nível". Que tal?

Renata Sorrah disse estar muito feliz com sua personagem. "A Gláucia Beatriz é uma pilantra ressentida com o filho milionário. Ela vai aprontar muito na novela e eu espero que as pessoas se divirtam com as maldades dela. Já gravei cenas ótimas", disse a atriz. Já Cláudia Abreu estava exultante. Antes de chegar na festa de Geração Brasil ela esteve no Teatro Casa Grande, na premiação do Troféu Zilka Salaberry de Teatro Infantil. Cláudia ganhou o prêmio de melhor atriz por sua atuação como protagonista da peça Pluft, o fantasminha. "Foi incrível ganhar o prêmio de Teatro Infantil. Estou muito feliz. Acho que meus filhos vão ficar orgulhosos", dizia, com um sorriso largo. E ali, na festa, ela demonstrava sua felicidade, distribuindo carinho aos colegas. E fez questão de comemorar a premiação, já que foi uma das últimas a ir embora da festa.  

Murilo Benício sempre foi cheio de marra. Isso faz parte da personalidade dele. Ser "cheio de marra" se tornou algo tão verdadeiro no artista, que ele ganhou um personagem com esse nome: Jonas Marra. Que tal? Esse é o nome do brasileiro que ficou milionário nos Estados Unidos graças a um aplicativo que criou para a internet. A novela começa quando o "Steve Jobs Tupiniquim" decide voltar ao Brasil para acertar contas com o passado. 

O trailer exibido durante a festa mostra que Geração Brasil é uma novela que tem ótimos personagens. Resta saber se esses personagens vão ter uma boa história para lhes dar sustentação.  

24.4.14


Pode-se estar apaixonado por várias pessoas ao mesmo tempo, por todas com a mesma dor, sem trair nenhuma delas.  (Garcia Márquez)

22.4.14


UMA LÁGRIMA PARA DG - Adoro o futebol de praia, o esporte oficial da Praia de Copacabana. Alguns dos meus melhores e mais queridos amigos são adeptos desse esporte e por isso acabei me tornando parte dessa tribo. E foi no ambiente do futebol de praia que conheci Douglas Rafael, mais conhecido como DG. Foi Rafael Tiago, dirigente e atleta do time da Rua Prado Júnior quem primeiro me falou dele. "Você precisa fazer uma reportagem com o DG, um garoto novo que tá jogando no nosso time. O moleque joga bem pra caramba. E tou levando a maior fé nele, pra gente ganhar o campeonato desse ano". Não deu outra. Com um futebol cheio de bossa e disposição para o jogo, DG foi fundamental para que o "Prado Júnior" ficasse no lugar mais alto do pódio, no final do campeonato.

DG sempre foi um rapaz simpático e gentil. Todos o conheciam como "DG do Esquenta", por causa da sua participação como dançarino no programa dominical da Regina Casé. O mesmo talento que tinha como dançarino, ele tinha como jogador de futebol. Sabia lidar com seu próprio corpo, tinha um suingue todo especial, um jeito de driblar que o fazia se destacar nas partidas de futebol.

Em 2013 ele atuou como protagonista do filme Made in Brazil. O filme é um curta metragem sobre um jogador de futebol e está à disposição no You Tube. Mas a ideia e o sonho de DG era transformá-lo num longa metragem. Já fazia sucesso na TV e queria fazer carreira como ator. "Dá uma olhada no meu filme. Ficou bem maneiro. Bota o link no teu blog", me disse ele certa vez, num bar da Rua Ronald de Carvalho, onde o seu time comemorava mais uma vitória no Campeonato Carioca de Futebol de Praia.

(As imagens do filme são impressionantes. Foi todo rodado no Cantagalo, o lugar que virou uma praça de guerra depois que seu corpo foi encontrado. E o filme acaba com ele sendo morto. Parece uma premonição.)




Hoje, 22  de Abril, a notícia da morte de DG, em circunstâncias ainda não esclarecidas, provocou uma onda de violência no bairro de Copacabana. Para seus amigos que fazem parte do futebol de praia, a morte foi um choque muito grande. Muita tristeza e muita dor nas areias de Copacabana. Ele era um rapaz doce, pacífico. Um atleta que tinha alma de artista. Sua morte prematura só nos causa muita dor.

Descanse em paz...

 


IPANEMA EM LÁGRIMAS - Um pequeno romance, escrito originalmente para a mídia digital. Ipanema em Lágrimas é uma história sobre a ditadura militar. Na Ipanema idílica dos anos 70 um menino, filho de um militar linha dura, vive uma amizade singela com um comunista escondido numa oficina mecânica perto da sua casa. Disponível apenas para download no site de Editora Faces. Baixe o livro e leia gratuitamente no seu tablet, notebook, celular ou PC. Que tal? Já A última canção de Bernardo Blues é um livro impresso e está à venda nas melhores casa do ramo. Mas, se você gosta mesmo de poesias, visite o blog Sonetos Nus, com os poemas de Waldir Leite.   

18.4.14



UMA LÁGRIMA PARA GARCIA MÁRQUEZ - Desde os tempos de adolescente eu sempre achei que todas as grandes histórias de amor já haviam sido contadas. E que a maior de todas elas era a história de amor de Romeu por Julieta. Certamente influenciado mais pela narrativa do filme do Zefirelli, do que pelo texto de Shakeaspeare. Até o dia em que li "O amor nos tempos do cólera".  A leitura desse romance foi uma experiência incrível. Houve uma mudança no meu modo de ver o mundo depois de ter degustado cada frase da história de amor entre Florentino e Fermina. Foi um dos livros mais marcantes da minha vida. 

Eu era adolescente quando li o meu primeiro Garcia Márquez: "A incrível e triste história de Cândida Erêndira e sua avó desalmada". Achei o título engraçado e fiquei impressionado com o estilo barroco da narrativa. Depois li com encanto e prazer "Ninguém escreve ao Coronel", "Cem anos de solidão" e "Crônica de uma morte anunciada". Seu último livro, "Memória de minhas putas tristes" é de uma beleza arrebatadora. Foi um artista que acrescentou beleza e sabedoria ao mundo.

Descanse em paz...

17.4.14
















AS PRAIAS DESERTAS - A solidão é a minha melhor amiga. Só ela me responde as perguntas que eu nem faço. Sua voz tem o som das ondas do mar e do farfalhar das folhas dos coqueiros. O som de uma música suave, uma sinfonia delicada. A ausência do outro é o maior de todos os benefícios. A presença de ninguém é uma dádiva. Nada me deixa mais feliz do que estar só, junto com a natureza e as forças do universo: o sol, o mar, o vento, o silêncio e a ausência de mais alguém.