26.6.03




O mais valioso de todos os talentos é aquele de nunca usar duas palavras quando uma basta.

PIADA - Um grupo de anões decide jogar futebol. Alugam um campinho de várzea e vão pra lá contentes e eufóricos. Lá chegando, percebem que não existe vestiário e então decidem vestir o uniforme no banheiro do boteco que fica lá perto. Todos entram e se dirigem para o fundo do bar, onde ficava o banheiro. Chega um bêbado e pede uma birita e após alguns minutos, passam por ele os anões do time de azul... O bêbado não entende a cena, mas continua bebendo. Em seguida, os anões do time de vermelho, também passam por ele...
O bêbado chega p/ o dono do bar e diz:
- Aí, cara, fica esperto que o seu jogo de totó tá fugindo.

GAY PARADE – Domingo, a partir das 14:00 horas a av. Atlântica vai ferver com a comemoração carioca do Dia do Orgulho Gay.



AMERICAN LIFE - George W. Bush declarou que o Hamas não está interessado que haja paz no Oriente Médio. E que por isso é preciso destruir o grupo terrorista. É patética essa tentativa do presidente americano em bancar o pacifista. De pacifista o pilantra não tem nada. Onde Mr. Bush estiver sempre haverá bombas explodindo à sua volta. No caso do Iraque, quando ele teve a opção de escolher entre a guerra ou a diplomacia, ele optou pela guerra. E agora fica forçando uma barra, tentando posar de pacifista. Vai se foder, Mr. Bush!!!

24.6.03




Os navios estão a salvo nos portos, mas não foi para ficar ancorados que eles foram criados.

NOITES CARIOCAS – A boate Bunker 94 já reabriu, depois de um mês e meio fechada para reformas. Os donos deram um belo trato no lugar, que ficou com outra cara depois da obra. A pista principal foi toda reformada. Mudaram o lugar do palco do DJ, que agora ganhou uma iluminação especial com néons. Também foi instalado um chuveiro onde antes era uma arquibancada. Não entendi a utilidade do chuveiro, mas tudo bem. Eles são modernos! A pista principal também ganhou uma entrada para o lounge, onde agora fica a enorme cama de casal e os almofadões. As duas outras pistas também ganharam novas decorações e nova luz. O túnel da entrada também recebeu uma nova ambientação. Novidade: o banheiro agora é misto. Homens e mulheres dividindo o mesmo espaço. Será que isso vai funcionar?


CABBÉ ARAÚJO, o promoter da Bunker 94 me convidou para a Bunker Rave, sábado próximo, num sítio em Vargem Grande. Cabbé é um excelente produtor e já organizou algumas das mais incrementadas raves na cidade. Ele garantiu que a festa será animada e cheia de surpresas. O promoter disse que não está nem um pouco preocupado com uma possível investida do Promotor Marcio Mothé, que anda invadindo as raves da cidade, a fim de dar blitz nos consumidores de drogas. Cabbé repudia o estilo sensacionalista do sr. Mothé mas diz que os clubers precisam mesmo de um puxão de orelhas pois tem pessoas que realmente cometem excessos no consumo de drogas e se tornam chatas e inconvenientes.

HILLARY 2004 – Os EUA precisam eleger Hillary Clinton para a presidência da república. Depois de eleger (?) esse cretino do W. Bush, o povo americano deve isso ao mundo. Hillary é hilária!!! Acabei de vê-la sendo entrevistada por David Letterman e fiquei cheio de saudades da época em que o marido dela era o presidente. A América e o mundo eram mais felizes nessa época. Letterman, naturalmente, perguntou se ela pretende se candidatar em 2004. Ela disse que não. Que a presidência é fardo muito pesado. Etc. Espero que ela, como todo político, esteja mentindo. Acho que depois do traste do Bush, uma mulher na presidência dos EUA iria dar uma aliviada nesse peso que a América se tornou para o mundo e para seu povo.

23.6.03




FALABELLA COMEMORA OS SETENTA DE DUSE

Foi de arromba a festa de Miguel Falabella, em comemoração aos setenta anos de Duse Naccarati. Um jantar fantástico. Um incrível elenco de convidados. Um DJ competente que sabia animar a pista de dança. E o champã rolando a noite inteira. Falabella arrasou como anfitrião, recebendo a todos com carinho e atenção. E todos ficaram comovidos com o carinho e a singela homenagem que ele prestou a Duse, uma das grandes damas do teatro brasileiro, musa absoluta do teatro besteirol.



A mansão de Miguel Falabella fica localizada num exclusivo condomínio no Itanhangá. A casa, de três andares, é cercada pela floresta da Tijuca. No primeiro andar fica um amplo salão, a copa e a cozinha. Tudo cercado por varandas onde a vista é uma só: o céu e a exuberância da floresta. No andar de baixo ficam os aposentos e um deck com uma piscina olímpica. No jardim, em volta da piscina, vários ambientes aconchegantes, decorados com sofás e almofadas. Descendo mais um andar encontramos uma academia de ginástica, sauna seca e a vapor e um bosque cheio de árvores centenárias. A banheira da suíte é debruçada sobre o bosque, de modo que o louro alto tome o seu banho de sais vislumbrando a mata atlântica.


Miguel me disse que foi a Cláudia Raia, que mora no mesmo condomínio, quem o convenceu a comprar a casa. Um dia eu encontrei com a Claudia e ela me disse: vi uma casa que é a tua cara e você tem que se mudar para lá. Ela me trouxe aqui, me fez comprar a casa e resolveu tudo para mim. Negociou com o antigo proprietário e negociou com a TV Globo o financiamento. A Cláudia é uma excelente mulher de negócios. Ela devia ser empresária.


Foi o chef Gustavo Carvalho quem fez o jantar. Guisado de vitela. Arroz marroquino. Diversos tipos de salada. E uma massa fantástica. Além de irresistíveis sobremesas. Gustavo Carvalho é dono do restaurante FORK, na rua Teixeira de Melo em Ipanema. Além de ter caprichado na comida Gustavo caprichou nos garçons, que eram lindos e foram muito paquerados. Sempre simpáticos, os rapazes não deixavam ninguém ficar com o copo vazio. Bebi champanhe a noite inteira. E sempre que minha flute chegava na metade um garçom bonitão, de irresistíveis olhos verdes se aproximava de mim e perguntava: Mais um espumante, senhor?


Quem estava na festa? Leonardo Vieira, Maria Zilda, Tuca Andrada, Patrícia Travassos, Zezé Polessa, Roberto Talma, Eriberto Leão, Tiazinha, Claudia Jimenez, Laura Cardoso. Arlete Salles, Zé Wilker, Guilhermina Guinle, Luciana Braga, Miguel Magno, Cacau Gomes, Roger Levy, Cao Albuquerque, Amora Mautner, Simone, Rosa Marques Moreira, Vera Fisher, Paulo Gorgulho, Rubens de Araújo, Marcus Alvisi, Gilvan Nunes, Silvia Bandeira, Débora Bloch, Bel Kutner, Diogo Vilela, Marco Aurélio, Bia Nunes, Regina Chaves, Lidoka, Sandra Pêra, Paulão da Mooca e muito mais.


A cantora Simone deu um show de animação. Cobriu Duse de presentes e beijos, bebeu tudo o que tinha direito e se esbaldou na pista de dança ao lado de Sandra Pêra, Vera Fisher, Amora Mautner e Guilhermina Guinle. Mas o alvo principal da cantora era uma bela moça morena, chamada Mariana Richards, irmã gêmea da ex mulher do Eduardo Moscovis, Roberta. De vez em quando Simone dava uns abraços bem entusiasmados nela, que correspondia sem medo de ser feliz. Simone estava divertida e alto astral e foi uma das últimas pessoas a sair da festa.


Vera Fisher é sempre um show à parte. Muito mais bonita ao vivo que na TV, ela vestia uma calça comprida de lycra preta e um top de strass, que realçava sua pele bronzeada. Vera dançou a noite inteira, exibindo a energia de uma jovem de quinze anos. A festa parou para vê-la se esbaldando com a Simone, na pista de dança. Quem também arrasou nos embalos de sábado à noite foi a pantera Rosa Marques Moreira, que estava com a corda toda.


Na hora do parabéns Miguel fez um discurso emocionado. Disse que se sentia honrado por fazer parte do grupo de amigos de Duse. E disse que foi com ela que ele aprendeu a fazer as pessoas rirem. Depois o elenco da peça Godspell, que Miguel dirige, cantou uma música para a homenageada. Durante a festa Miguel confidenciou a amigos que já havia sido namorado de Duse, na juventude, e que isso tinha mudado a vida dele. Depois do parabéns Igor, um dos convidados, acendeu um baseado e entregou a Mme. Naccarati que deu um trago no cigarro e bradou: Eu tenho setenta anos de glória!!!


Na festa conheci pessoalmente o blogueiro Pedro Esteves, sobrinho da Duse. Pedro é lindo. Lembra um poeta. Parece um adolescente de quatorze anos. Ele mora em Belo Horizonte, onde trabalha como assessor de imprensa. Veio ao Rio passar o feriado e comemorar o aniversário da tia. Ele me apresentou um rapaz que estava com ele. Esse é o meu namorado de BH. Gente chique é outra coisa!!!

21.6.03





Se um dia a pessoa que você ama lhe trair e você pensar em se jogar de um prédio, lembre-se: Você tem chifres, não asas !!!

VICENTE PEREIRA ESTÁ VIVO * Um luxo a montagem de O Karma Cor de Rosa, o último texto do saudoso teatrólogo Vicente Pereira. A peça foi montada graças ao empenho da atriz Sylvia Bandeira, que comprou os direitos da peça e a produziu. Há dez anos o diretor Marcus Alvisi vinha tentando montar esse espetáculo. Chegou a inscrever o texto para concorrer em vários patrocínios, mas o projeto nunca era aprovado. Até que Sylvia Bandeira enfrentou o desafio de encenar O karma cor de rosa. Aplausos para ela.


A montagem é muito bem cuidada e está a altura do texto do Vicente, um besteirol sofisticado que conta a história de uma visita do ator Paul Newman ao Brasil. Toda a realização do espetáculo envolve o esforço de alguns dos melhores amigos do autor. O diretor Marcus Alvisi, que também interpreta Paul Newman na peça, foi namorado do Vicente na juventude e depois se tornaram grandes amigos. Duse Naccarati, fantástica como sempre, provocando as melhores risadas do espetáculo, e Rubens de Araújo, também foram pessoas muito especiais para o Vicente.


Aliás, o Vicente Pereira foi uma pessoa realmente muita querida. Muitos dos seus amigos foram prestigiar o espetáculo, com o espírito de quem estava indo encontrar alguém muito querido. Uma pessoa especial. Patrícia Travassos, uma de suas melhores amigas, estava radiante. Não escondia de ninguém a felicidade por ver a peça de seu querido Vicente finalmente encenada. Assim como Diogo Vilela, que fez grande sucesso no teatro com outro texto do Vicente Solidão, A Comédia, não se cansava de repetir: Eu olhava para o espetáculo e parecia que estava vendo o Vicente.


Louise Cardoso convidava a todos para vê-la no espetáculo Pluft, de Maria Clara Machado. Ângela Vieira. Jaqueline Laurence. Lidoka. Chico Diaz. A cantora Simone, como sempre, provocando frisson em todas as mulheres. E Tiazinha, namorada de um dos atores do espetáculo, Eriberto Leão, circulando serelepe com um cachecol cor de rosa. Rosa Marques Moreira, filha do presidente da Associação Comercial do Rio, Marcílio Marques Moreira estava linda, vestida para matar. Marcus Vinicius, nosso amigo que está trabalhando na reconstrução do World Trade Center, veio de Nova York especialmente para a estréia. Sempre hilário Marquinhos nos contou o seu encontro com a Princesa Anne. E disse que Nova York está vivendo um momento muito difícil em conseqüência da política externa do governo americano. Bush é um horror!, repetia ele.


Quando encontrei o Marcus Vinicius na entrada do teatro ele me disse: Lembra que foi aqui que assistimos a estréia de Colombo, há dez anos atrás, com o Rubens Correia? Foi incrível essa lembrança. Colombo também era dirigida por Marcus Alvisi e também tinha Duse Naccarati e Rubens de Araújo no elenco. Lembra da Duze vestida de sereia, com um rabo de peixe e os peitos de fora? Outra lembrança curiosa: foi no teatro Villa Lobos que eu vi o Vicente Pereira pela última vez.

19.6.03




Os grandes navegadores devem sua reputação aos temporais e tempestades.

BROADWAY DANNY ROSE * Acabei de ler, com grande prazer, os originais do livro do empresário Paulinho Lima. Ainda sem título, o livro é uma autobiografia deste, que é um dos mais bem sucedidos empresários brasileiros da área do show business. Paulinho Lima foi produtor de shows e discos de Gal Costa nos anos 70. Foi empresário de Ângela Ro Ro e Zizi Possi, naquela época em que elas eram namoradas. Ele apartou muitas brigas das duas. Paulinho produziu shows de Moraes Moreira e Nana Caymmi. Foi empresário de Lulu Santos, Leo Jaime, Kid Abelha e Ritchie, naquela fase áurea de Menina Veneno. Ou seja, o que não falta ao Paulinho Lima são estórias para contar.


No seu livro Paulinho conta sua infância em Itabuna, interior da Bahia, nos anos 50. Num estilo que lembra José Lins do Rego, o empresário narra sua vida de menino numa época em que o cacau tornava milionários os fazendeiros da região. Suas descrições da vida rural são comoventes. Ele lembra lugares, fatos e pessoas com muita ternura. Em seguida conta a adolescência em Salvador onde conviveu com gente como Glauber Rocha, Luis Carlos Maciel, Gal Costa e Calcida Becker, já que estudava na famosa Escola de Teatro da Bahia. Depois tem a mudança para o Rio de Janeiro, no final dos anos 60, junto com os artistas baianos. No livro Paulinho nos mostra uma visão terna e bem humorada dos bastidores da MPB numa época de muita efervescência. O livro tem tudo para fazer o mesmo sucesso de Chega de Saudade, o livro de Ruy Castro sobre Bossa Nova. Só que o livro do Paulinho mostra o ponto de vista de quem viu e viveu aquelas histórias.


TRECHOS DO LIVRO


Quando a companhia da atriz Cacilda Becker passou pela Bahia em 59, a caminho de Portugal, Glauber Rocha dirigia o segundo caderno do Diário de Noticias. Sabendo que tinha me metido nos bastidores do cine Guarani e já era conhecido de todo o elenco me encarregou de fazer uma entrevista com ela. Cacilda tinha propagado que não daria entrevistas. Por outro lado, quando Glauber me deu tal encargo amarelei e lhe disse que não era jornalista e que não sabia o que perguntar a grande Cacilda, que ele é que deveria fazer a matéria. Com aquele seu ar de tédio, enfado, me disse que não tinha saco para aturar estrelas e que em poucas palavras ia me dar uma aula completa de jornalismo.


Sempre tivera atração por outros meninos, mas o pavor de ser considerado veado me bloqueava. Por outro lado tinha o discurso repressor de Glauber Rocha, que vivia me alertando que eu estava andando demais com bichas e que meu nome já estava na praça. Também tinha medo que minha família tomasse conhecimento. Quando tinha uns dez anos mamãe resolveu me levar a um médico em Itabuna, cansada de ouvir de parentes e amigas que eu era muito delicado, sensível, criado com vó, como se dizia. E principalmente, tinha pouco interesse em brincadeiras mais masculinas, como futebol. Fui levado para ser examinado pelo Dr. Seixas, um homem muito bonito, achavam-no a cara de Clark Gable...




DENISE ROMANO, minha querida amiga, empresária de artistas e produtoras de shows musicais embarcou para uma temporada de "dolce vita" na Europa. Apesar de seu temperamento bem carioca, Denise não vive sem uma temporada em Paris. Afinal, foi na capital francesa que La Romano conheceu o seu marido egipcio. Sua despedida da cidade foi na animada feijoada comemorativa do aniversário do nosso querido Renato Costa.

LIBERDADE PARA AS DROGAS! * O consumo de drogas é um fenômeno cultural da nossa época. Existe uma parcela da população que consume esse produto: drogas. Alguns fumam maconha. Outros cheiram pó. Muitos tomam bala. Cada um tem a sua droga. Como também existem aqueles que consomem todas. É um fenômeno internacional. Muitos produtos culturais já são produzidos de acordo com determinadas drogas. O filme Matrix, por exemplo. Seus efeitos especiais parecem ter sido criados para serem apreciados sob o efeito de um baseado. A música eletrônica é produzida para ser consumida sob o efeito de um ecstase. E assim caminha a humanidade.


O consumo de drogas também tem a ver com a sexualidade exarcebada da nossa época. Esse é o mundo do ano 2000. Foi a esse comportamento que o mundo chegou depois da revolução sexual. Depois da Bíblia e o Alcorão. Depois do teatro de Shakeaspeare. Da música dos Beatles. Depois de Rimbaud, Verlaine, Drummond, Joyce, Freud, Tchaikovski, Madonna. Depois dos progressos da ciência, da medicina e da tecnologia. O ser humano conheceu e viveu muita coisa nesses dois mil anos de civilização. E essa carência por drogas faz parte da atitude boquiaberta do ser humano diante da própria existência.






G MAGAZINE Nos bastidores do mundinho GLS a fofoca do momento é o possível fim da G Magazine. Diz-se que a Fractal, editora que publica a revista está coberta de dívidas e que por isso a revista estava prestes a ser fechada e que o nome, a marca G Magazine estava sendo negociado com uma gráfica de São Paulo. A fofoca foi tanta que Ana Fadigas, a editora da G publicou uma nota oficial no site Mix Brasil afirmando que a revista estava realmente passando por dificuldades, mas ela vai continuar sendo publicada normalmente, enquanto os donos tentam resolver as questões financeiras.
MIRIAM LEITÃO, a musa do jornalismo econômico, está fazendo o maior sucesso com o seu novo visual. Os cabelos mais curtos deixaram a moça mais sexy e charmosa. Mas, quem a vê no programa Espaço Aberto, da GloboNews, percebeu que não foi só no visual que Miriam mudou. No temperamento também. Miriam está parecendo mais feliz. Mais bem humorada. Bem diferente da imagem de jornalista sisuda que ela sempre cultivou.


MIRIAM DUTRA, a jornalista que teve um caso e um filho com o ex presidente Fernando Henrique Cardoso, apareceu nas telas da Globonews nesta quarta-feira. Direto de Barcelona ela informou aos telespectadores que o presidente Lula, tinha ganhado o prêmio Príncipe das Astúrias, o prêmio Nobel do governo espanhol. Durante a reportagem La Dutra lembrou que outro brasileiro já tinha ganhado o mesmo prêmio: o seu ex-amante Fernando Henrique Cardoso. Não é lindo, o amor?


ANTONIO CARLOS MIGUEL, o subeditor do Segundo Caderno do Globo, já está em casa depois de ter passado três dias no Hospital para fazer uma cirurgia. A operação foi super bem sucedida e ACM já está em casa, sob os cuidados da sua querida esposa Katy e dos filhos Marlon e Iury, dois adolescentes muito lindinhos. Adoro Antonio Carlos e Katy. São meus amigos há muito tempo. Hoje eu conversei com o Antonio, por telefone ele me pareceu estar ótimo. Este fim de semana pretendo lhe fazer uma visita, levar flores e um livro de presente.

14.6.03



FAVELA SURF CLUB * O Arpoador viveu um dia de glória com a realização do campeonato de surf organizado pela turma do Favela Surf Club, uma espécie de sindicato de surfistas da área. Com o apoio do Salvamar e da Guarda Municipal, o torneio reuniu na praia a nata dos surfistas locais. Como não podia deixar de ser, num campeonato de surf, o destaque ficou por conta das ondas gigantescas que quebravam no mar. Só paredão!, como disse um surfista presente ao evento. Ondas perfeitas que se transformavam no palco ideal para o show dos surfistas do pedaço. Delírio total para o público que teve a oportunidade de ver um espetáculo de alto nível. Feras do esporte flutuando em grande estilo na crista da onda. Enquanto isso na areia um tremendo alto astral. Gente bonita se deixando bronzear por um sol viajante. E um deejay ótimo que só tocava música popular brasileira moderna: Rogê, Rappa, Benjor. Tinha também um locutor que dizia coisas hilárias, tipo: O que se leva da vida é a vida que se leva. Muito bom. O pessoal do Favela Surf Club é dez!

CÍNTIA MON AMOUR – Hoje eu vi uma coisa incrível numa banca de revistas. Está à venda um kit para caminhada da Cíntia Howllet-Martin. Vejam que mimo! A Cíntia realmente é sensacional. Ela é íntegra. Tem estilo. Além daqueles longos e lindos cabelos. Pois bem. Dedicado para pessoas que gostam de fazer caminhadas, o kit é formado por uma revista e uma fita cassete. A revista fala sobre os benefícios de uma caminhada, onde Cíntia dá conselhos para os adeptos desse exercício físico. A fita cassete é para ser ouvida num walkman durante as caminhadas. Para mim esse já o lançamento do ano! Na fita temos músicas e a voz dela dando dicas para o esportista caminhar no ritmo certo. É simplesmente o máximo. Agora qualquer um pode chegar numa banca de jornais, comprar uma fita e ouvir a voz de Cíntia Howllet-Martin. Que fetiche! Obrigado, Cíntia...
O HOMEM QUE COPIAVA – É muito legal o filme de Jorge Furtado. Para começar é estrelado por Lázaro Ramos, aquele ator fantástico que interpretou Madame Satã. Desde que eu vi Lázaro dando pinta no filme de Karim Anouiz fiquei fã dele. Agora ele interpreta um rapaz apaixonado pela vizinha que observa de binóculo da janela do seu apartamento. O roteiro é ótimo e tem boas surpresas. O fato de ser ambientado em Porto Alegre deixa o filme refrescante e suave. A direção é segura e tem uma pitada de Trauffaut que é muito legal. A presença de Credence na trilha sonora é uma surpresa agradável. Luana Piovani está linda, sexy e muito engraçada como a colega de trabalho do protagonista. Leandra Leal também merece destaque como Silvia, a moça que é a grande paixão do herói.

12.6.03



11.6.03



Um homem terá pelo menos dado a partida para a descoberta do sentido da vida humana quando começar a plantar árvores frondosas sob as quais sabe muito bem que jamais se sentará.



KARMA COR DE ROSA A peça de Vicente Pereira estréia dia 19 de junho no teatro Villa Lobos. O elenco é um luxo. Rubens Araújo, Sylvia Bandeira, João Camargo e a grande dama do teatro brasileiro Duse Nacarati, dirigidos por Marcus Alvisi. Karma Cor de Rosa é o último texto escrito pelo dramaturgo Vicente Pereira, um dos pais do teatro besteirol. (O outro pai era Mauro Rasi.) O texto conta a história de um rico e corrupto político brasileiro que compra os direitos de fabricação, para o Brasil, do famoso molho de saladas criado pelo ator Paul Newman, que há anos é sucesso nos Estados Unidos.


Por causa da estréia da peça, a próxima semana está sendo chamada, no meio teatral carioca, de SEMANA DUSE NACARATI. É que dois dias depois da estréia da peça Duse vai estar fazendo aniversário. E a data será comemorada em grande estilo, com um jantar na mansão de Miguel Falabella no Itanhang?. Para quem não sabe Duse Nacarati é uma espécie de musa do teatro besteirol.

A REVISTA HOMENS, do mês de junho, edição especial do Orgulho Gay chega nas bancas cheia de estilo. Um ensaio erótico com o guitarrista Leon Fala, um rapaz que tem um corpo fantástico. As fotos de Mauricio Chicralla são ilustradas por um texto do Mauro Ferreira. A revista também traz entrevistas com a percussionista Lan Lan e com o escritor Marcelo Secron Bessa. Uma reportagem sobre o CD póstumo de Renato Russo. Um artigo sobre o livro do antropólogo Luiz Mott Crônicas de um gay assumido. E encerra com uma brilhante crônica do jornalista Gilberto Scoffield Jr.



Soneto (de Vinicius de Moraes)


São demais os perigos dessa vida
Para quem tem paixão, principalmente
Quando uma lua surge de repente
E se deixa no céu, como esquecida


E se ao luar, que atua desvairado
Vem unir-se uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher


Uma mulher que é feita de música
Luar e sentimento, e que a vida
Não quer, de tão perfeita


Uma mulher que é como a própria lua:
Tão linda que só espalha sofrimento,
Tão cheia de pudor que vive nua. 


A revista MEGAZINE, suplemento teen do Globo, editado pela poderosa e tirana Carla Lencastre publica reportagem sobre o discreto namoro entre as adolescentes lésbicas. Parece que o romance entre garotas chegou com força total no universo adolescente. Sem medo de ser feliz. Recentemente a revista CAPRICHO também fez uma edição totalmente dedicada as "lesbian-chics teen agers". Colocou na capa as meninas do grupo t-a-t-u (grupo europeu de música pop formado por duas garotas russas que se dizem apaixonadas uma pela outra.) Dentro da revista havia um ensaio de moda protagonizado pelas atrizes Aline Moraes e Paula Picarelli, a dupla de lésbicas Clara e Rafaela, da novela Mulheres Apaixonadas. Além disso, a Capricho publicou um teste em que a jovem leitora poderia checar suas tendências ao homossexualismo. Nome do teste: Será que eu sou?



A coisa de maior extensão no mundo é o universo, a mais rápida é o pensamento, a mais sábia é o tempo e a mais cara e agradável é realizar a vontade de Deus


JOÃO DO RIO Este final de semana recebi a visita do escritor João Carlos Rodrigues. Um sujeito muito inteligente. Além de ser um arguto e atento observador do comportamento da sociedade brasileira. João é um intelectual muito versátil. Produtor musical de alto nível foi ele quem produziu os dois últimos discos de Johnny Alf. Escreveu a biografia do também escritor João do Rio, além de um livro muito interessante chamado: O Negro no Cinema Brasileiro. Também dirigiu alguns vídeos sobre o movimento punk.


Conversamos muito sobre muitas coisas. Os novos filmes brasileiros. Lula presidente. E o desastrado governo Bush. João Carlos é um estudioso da trajetória do negro brasileiro dentro da sociedade e é contra o sistema de cotas para cidadãos afro-brasileiros. Ele argumenta que a maior prova de que o sistema de cotas não acrescenta melhora nenhuma na sociedade é o governo George W. Bush. Segundo ele, nenhum governo poderoso, em toda a história da humanidade, obteve no seu centro de decisão tamanha quota de negros, como no governo de Mr. W. Bush. E isso não melhorou o mundo em nada. Pelo contrário. Depois deles o mundo ficou muito pior.

DÉBORA MELISSA é uma leitora assídua desse blog. Débora mora na Bélgica e costuma matar saudades do Brasil freqüentando essa página. Gentil e atenciosa, Débora manda e-mails dando sugestões e fazendo comentários interessantes sobre os posts. Ela diz que gosta da maneira como eu escrevo e do jeito que eu falo dos meus amigos. Mas Débora acha que eu me arrisco muito com minhas opiniões sobre drogas e sobre o governo George W. Bush. Ela diz que são opiniões muito radicais. Eu me sinto muito lisonjeado por meu blog ser lido na Bélgica. E queria, publicamente, agradecer sua gentileza e simpatia.


WHERE ARE THE WEAPONS? – A revista Newsweek desta semana tem uma capa impressionante. A foto de um solitário soldado americano no meio do deserto iraquiano e a pergunta em letras garrafais: Onde estão as armas? A imprensa americana está curiosa para saber como o governo do seu país vai responder a essa singela questão: cadê as armas químicas que vocês disseram que havia no Iraque? O mais incrível é que a foto estampada na capa da revista responde a pergunta. Simplesmente não existem armas de destruição em massa. Era tudo bravata!

7.6.03




E AGORA, MR. BUSH? - Parece que agora é oficial.
Não existem armas quimicas no Iraque. Quem teve a oportunidade de acompanhar a guerra pela TV, como uma espécie de Big Brother Brasil, pôde constatar que o Iraque não tinha nem mesmo armas convencionais. Se eles tivessem armas quimicas teriam usado contra os americanos. Isso prova o que todo mundo já sabia. George W. Bush e Tony Blair mentiram sobre os reais motivos da guerra do Iraque.


A guerra do Iraque foi, acima de qualquer coisa, um ato terrorista. O mais vil, sórdido e covarde ato terrorista jamais praticado. Um ato terrorista promovido pelo governo dos EUA, associado ao governo da Inglaterra. Um ato terrorista articulado por representantes de países ditos civilizados. Por trás do discurso falso patriota de guerra ao terrorismo o que existia era um golpe financeiro. Os pilantras fizeram tudo isso por causa do petróleo. E para estimular economicamente a indústria bélica da qual eles são testas-de-ferro.


O governo americano forjou dados que apresentou a ONU e ao congresso, a fim de conseguir uma justificativa para a guerra. Além disso, desrespeitou leis internacionais e ignorou a autoridade da ONU. Não por acaso, esta semana, os editores do New York Times foram demitidos por causa de matérias forjadas pelo jornalista Jayson Blair. Seria os Estados Unidos o país da fraude? Quem, a partir de agora, vai acreditar no que eles dizem? Sempre haverá a suspeita que a história não é bem assim...


Depois desse golpe financeiro, posto em prática com a utilização de atos terroristas, só resta ao Congresso Americano solicitar o impeachment de George W. Bush. Afinal, quem mais está se prejudicando com as trapalhadas do governo é a própria América. George W. Bush manchou com sangue a credibilidade do país. E fez isso de uma forma tão cheia de evidências que não é possível disfarçar. O governo de uma nação não pode se comportar como um grupo de assaltantes de banco. E a guerra do Iraque foi um assalto a banco. Agora o cadáver está exposto na sala de jantar da Casa Branca. E existe uma realidade que ninguém pode mudar: o governo americano é formado por mafiosos. George W. Bush, Dick Cheney, Colin Powell, Donald Rumsfeld e Condoleeza Rice além de gangsters, são criminosos de guerra. Pilantras. Agentes da Ku Klux Klan. Filhotes de Al Capone. Afilhados de Don Corleone. Eles deveriam ser exilados do poder. Depois presos, julgados e condenados. Eu seria capaz de pagar cem dólares para assistir a Condoleeza Rice torrando numa cadeira elétrica.




Se os mafiosos da Casa Branca foram capazes de forjar documentos para justificar a invasão do Iraque, certamente eles foram capazes de forjar outras situações. Eles podem muito bem já ter aplicado este mesmo golpe anteriormente. Inventar uma situação para obter lucros. Criar um factóide e manipular a opinião pública de modo a convence-la da necessidade de seus propósitos escusos. Os ataques de 11 de setembro, por exemplo. Quem garante que os ataques de 11 de Setembro não foram planejados na Casa Branca? Quem garante que não foi o próprio governo dos EUA que articulou os ataques terroristas de 11 de setembro?


Nos livros policiais, quando ocorre um crime misterioso, a primeira pergunta que os detetives fazem, quando começam a investigar é a seguinte: quem ganhou com esse crime? Isso eu aprendi lendo clássicos da literatura policial dos EUA e Inglaterra. Obras de Agatha Christie, PD James, Dashiel Hammet e Raymond Chandler. Pois bem. Vamos a pergunta. Quem mais ganhou com os ataques de 11 de setembro? Quem mais lucrou? Quem mais angariou o poder? A resposta é uma só: o governo dos Estados Unidos.


Muito mais do que qualquer terrorista árabe. Muito mais do que qualquer inimigo da América, quem mais lucrou com os ataques foi o grupo de mafiosos que governa o país mais poderoso do mundo. Desde que assumiu o governo, através de um golpe de estado, diga-se de passagem, George W. Bush só pensava na indústria bélica. Criar armas novas. Dinamizar a indústria de armas. Mas os seus gritos não encontravam eco nem no seu país nem na comunidade internacional. Seu discurso belicista era considerado apenas uma conseqüência do seu pensamento de representante da direita. Foi então que ocorreram os ataques. A partir daí tudo mudou. Para a América ferida o discurso de Bush passou a soar como a tradução da verdade absoluta. Os acontecimentos daquele fatídico dia caíram como uma luva nos interesses sórdidos do governo americano. Coincidência? Pode apostar que não.


Como não havia eco para o seu discurso belicista, certamente os mafiosos do governo Bush pensaram numa maneira de convencer a opinião pública americana e internacional de que eles teriam razão. Algo que pudesse convencer a todos que o país precisava mostrar que tinha poder bélico, para assim ser respeitado pelos terroristas que tanto “ameaçavam” a segurança da nação.


Certamente algum daqueles criminosos, Dick Cheney, por exemplo sugeriu: tem que ser algo chocante, explosivo, que deixe o país com medo. Só assim nós vamos ter apoio e dinheiro para manipular a indústria bélica e ganharmos vultuosas comissões com isso. Então um outro gangster, talvez Donald Rumsfeld, tenha tido a grande idéia: o país precisa sofrer um ataque. Um grande ataque terrorista. O maior e mais terrível de todos. Imagino a gang de mafiosos vibrando com a idéia brilhante e brindando com champanhe. Depois de um gole de Don Perignon Condoleeza Rice sibilava para seus comparsas: eu sei quem pode fazer o serviço para nós. E com seu arrogante trejeito de serpente negra pronunciava o nome do seu comparsa: Osama Bin Laden.

JACKIE MILLER CONTA – No site oficial da Casa Branca , as estripulias do governo americano, segundo eles mesmos. Na opinião do site Mr. Bush é um homem bom, preocupado com a democracia e com o bem estar da América e do mundo. Ao falar para as tropas americanas no Qatar, o presidente disse que, graças a eles o povo americano e os aliados agora estão se sentindo mais seguros.

5.6.03




VITOR BELFORT VENCE LUTA EM LAS VEGAS - Os brasileiros deram um show no octogóno de Las Vegas, onde foi disputada a 36ª edição do Ultimate Fighting Championship. Pedro Rizzo derrotou Tra Telligman por nocaute técnico aos 4min25seg do 2º round na primeira luta da noite e Vitor Belfort foi ainda mais contundente, nocauteando Marvin Eastman e deixando um enorme corte no rosto do gringo com apenas 1min07seg do 1º round!


Quase um ano depois da sua última luta, quando perdeu para Chuck Liddell no mesmo octógono de Las Vegas, Vitor Belfort deu sinais que está voltando a ser o mesmo Vitor Belfort de antigamente. Calmo, o brasileiro aproveitou a ansiedade de Marvin Eastman e depois de uns chutes no vazio dados pelo americano, acertou uma joelhada voadora em Eastman, que caiu. Belfort aproveitou a vantagem e foi pra cima de Eastman acertando uma seqüência de uns 20 socos que obrigaram o juiz a interromper o combate e dar a vitória ao brasileiro.


ROYLER GRACIE DE VOLTA AO VALE TUDO - Recém-chegado da Austrália, onde ministrou seminários em New Castle, Perth e em Sidney, Royler Gracie deu entrevista a André Araújo, da revista TATAME e se disse bastante chateado com as declarações do americano Eddie Bravo, que o provocou com declarações na internet. Embora os eventos de quimono não estejam mais nos planos de Royler, ele, eos 37 anos, está longe de dar sua carreira como encerrada. O campeão revelou estar disposto a voltar aos ringues de Vale-Tudo, citando o Pride como o primeiro na sua preferência. A seguir, a entrevista exclusiva com o tri-campeão do ABU DHABI e terceiro lugar da categoria até 66kg do ABU DHABI BRASIL.


Como você assimilou o triângulo aplicado pelo americano Eddie Bravo no Abu Dhabi Brasil que o levou a bater pela primeira vez na carreira? Não tiro os méritos do Eddie Bravo pela vitória. Perdi sim para ele... sou humano, não uma máquina e estou feliz por ter continuado na competição e disputado o terceiro lugar. O que me deixou mais chateado foram os comentários que ouvi e a própria news que li no site TATAME, atribuindo a mim a declaração de que eu teria perdido para mim mesmo. Fui muito mal interpretado. Todos nos Estados Unidos entenderam o que eu quis dizer. O triângulo que ele me aplicou em parte foi erro meu, eu me distraí. Foi isso que eu disse.
O Eddie Bravo chegou a falar em revanche? Quem teria que pedir revanche sou eu, mas quem disse que eu quero revanche?! A minha preocupação não é essa, já provei o que tinha que provar. Acho o Eddie Bravo um bom lutador, mas ele errou ao pensar que o torneio tinha acabado quando me venceu. Acabou voltando pra realidade na luta seguinte quando perdeu pro Leozinho.
Você sempre foi um dos maiores representantes da família Gracie nos tatames. Pretende participar dos torneios mundiais deste ano? Não, estou fora. Estou sem patrocínio.
E a Gracie Humaitá, vai participar dos dois mundiais?Ano passado a equipe só participou do Mundial da CBJJ. Isso porque os dois foram marcados no mesmo dia. Neste ano, se o pessoal quiser entrar, eles vão.
E o Vale-Tudo? Cara, ainda não tem nada marcado. Queria ver se eu lutava até o final do ano. Gostaria de voltar a lutar no Pride.
O que rolou entre você e o seu pai (Hélio Gracie) após a sua derrota no Abu Dhabi Brasil? Você se dirigiu a ele, que estava na arquibancada e falou alguma coisa? Foi, eu cheguei pra ele e falei: 'pô, vacilei...desculpa aí pai'. Ele me confortou : 'você é humano, mas tem que se concentrar melhor na luta. Isso acontece, ninguém é máquina'. Foi isso que rolou.
E depois disso, vocês chegaram a conversar? No dia seguinte ao ADCC eu fui lá em Petrópolis (RJ), conversamos e ele levantou minha moral. Me disse que sem pano escorrega muito... esse tipo de coisa e que eu terei outras oportunidades. Essa relação com o Hélio significa muito para mim. É meu pai e meu mentor.



THE ADVOCATE, a famosa revista americana dedicada ao público gay, recomenda aos seus leitores o filme brasileiro Madame Satã, que estréia no próximo mês nos Estados Unidos. Além de publicar uma foto do filme, a revista elogia a atuação do ator principal Lázaro Ramos assim como a direção de Karim Anouiz. The Advocate também diz aos seus leitores que Madame Satã é um filme absolutamente gay, ao descrever a trajetória do personagem principal, um malandro homossexual que fez história no bairro carioca da Lapa.



HILDEGARD ANGEL está muito feliz com o sucesso do seu programa na radio PARADISO FM. Agora, todos os domingos, das sete as oito da noite, a jornalista apresenta uma espécie de versão radiofônica da sua badalada coluna. Noticias do high society, do gay society, da política, da economia, das artes marciais, da noite carioca. Tudo o que os leitores já encontravam na coluna agora vão ter também através das ondas do radio.



DADO DOLABELLA é a coisa mais linda desse mundo. Hoje eu o vi na Igreja da Ressurreição, no Arpoador. Ele estava lindo, com aquele seu franjão caindo sobre a testa. Vestia uma camisa branca que parecia um modelo criado pelo Cláudio Gomes. Ele é tão juvenil... Parecia um anjo que tivesse descido do céu para assistir a missa do padre Jorjão.


Eu sempre vou à missa pelo menos duas vezes ao mês. Gosto de rezar e pedir a Deus para me proteger das forças do mal que vagam pelo mundo. Do jeito que caminha a humanidade, acho que só nos resta apelar para os anjos e santos. Hoje quando cheguei na igreja era a missa de sétimo dia do Carlos Eduardo Dolabella, pai do Dado. Ele estava lá com a namorada Débora Secco, a mãe Pepita Rodrigues, além de amigos e familiares. Aproveitei a coincidência e fiz uma prece pela alma do grande ator brasileiro. Um artista que faz parte da história da televisão brasileira.


A Igreja da Ressurreição é a minha igreja favorita do Rio de Janeiro. Comecei a freqüenta-la para assistir as badaladas missas do Padre Zeca. Acabei gostando da igreja e depois que Padre Zeca se mudou para o Vaticano eu comecei a curtir as missas dos outros padres, como padre Jorjão, por exemplo. Vários amigos também freqüentam a Ressurreição. Inácio, Pernil, PC, Denílson. Paulo Coelho, o escritor favorito da Madonna, também assiste a missa lá. Assim como Antenor Mayrink Veiga e sua mulher Patrícia.

4.6.03




AS LÁGRIMAS DE HILDEGARD A jornalista Hildegard Angel, que assina a coluna social mais lida da imprensa brasileira, se emocionou e foi às lágrimas ao receber o prêmio Direitos Humanos concedido pelo grupo ARCO ÍRIS, de defesa dos homossexuais. Hildegarde foi premiada pelo fato da sua coluna sempre apoiar as causas dos homossexuais e noticiar com estilo e modernidade os acontecimentos da vida gay brasileira.


A entrega do prêmio foi na noite desta terça-feira, no Cine Odeon. Hilde chegou chiquérrima, acompanhada do marido, o empresário Francis Bogosian e um grupo de amigos. Apesar de ter preparado um pequeno discurso de agradecimento, ela não conseguiu dizer o que queria devido a emoção. Quando foi chamada para receber o prêmio, o apresentador disse que ela tinha Angel no nome e que por isso era uma espécie de anjo da guarda dos gays na imprensa brasileira. O auditório a cobriu de aplausos e assovios. Foram tantos que Hilde não resistiu à emoção e comoveu a platéia com suas lágrimas.


O GRUPO ARCO ÍRIS fez a festa para comemorar seus dez anos de atividades, sempre defendendo os direitos dos gays e combatendo a discriminação, a violência e o preconceito. Também foram premiados personalidades como Gringo Cárdia, Fernando Gabeira, Rose Marie Muraro e Sergio Brito, entre outros. A FIAT AUTOMÓVEIS também foi premiada pelo seu anúncio “Está na hora de você rever os seus conceitos”, e o representante da empresa fez um discurso muito simpático e elegante. Foi um luxo a festa do grupo ARCO IRIS, que ainda teve números de dança e apresentações de transformistas.




ESTA TARDE EU VI GISELE – Gisele Budchen, a supermodel brasileira, parou Ipanema nesta terça-feira. Linda como um pôr do sol visto do Arpoador, ela deixou a praia de outono muito mais cheia de graça. Parecia uma miragem. Uma visão celestial. Um presente dos céus para os olhos incrédulos dos nativos de Ipanema. Distribuindo charme, beleza, ternura e simpatia a todos que, embevecidos, paravam para vê-la repetindo inúmeras vezes os takes exigidos pelo diretor.


Uma verdadeira superprodução foi montada em frente ao Colégio São Paulo para a filmagem de Gisele. Câmeras sofisticadas. Gruas. Refletores. Figurantes. Equipe de produção. Assistentes. Um esquema digno de Hollywood. Havia um guindaste enorme que mantinha pendurado, na altura do terceiro andar dos prédios, um gigantesco cano de ferro, destes usados para fazer o emissário submarino. Pois bem. Gisele subia no cano e ficava desfilando lá dentro enquanto uma câmera acoplada a uma grua acompanhava todos os passos da modelo.


Em seguida ela filmou no calçadão, descendo até a areia, onde tirava o vestido e corria de biquíni em direção a água. As cenas foram repetidas dezenas de vezes. Enquanto isso uma multidão de curiosos se aglomerava em torno da filmagem, curtindo a oportunidade de ver de perto a grande diva da moda internacional. As pessoas aplaudiam, gritavam o nome dela, jogavam beijos... Alguns gritavam do alto dos edifícios: Gisele você é ma-ra-vi-lho-sa!!! Ela sorria, acenava, fazia gracinhas, dançava para os fãs. No momento que o diretor gritava “rodando” ela incorporava a top model e encarava a câmera com personalidade e estilo.


O diretor Andrucha Waddington comandava a todos com paciência e bom humor. Quem também participou da filmagem foi o modelo André Rezende, o bonitão que faz os anúncios da Sandpiper. Belo como sempre, André filmou uma seqüência em que oferece sua prancha de surfe para que Gisele passe por cima dela, usando a sandália que era o motivo do anúncio.


Na praia, assistindo as filmagens, encontrei os também modelos Walter Rosa e Eduardo Rodrigues. Fumamos um baseado e fiicamos conversando e fazendo comentários sobre a filmagem e o mundo da moda. Walter Rosa só falava da Ellen Jabor, a modelo que fazia a doublé da Gisele. Ele dizia, quase se babando, que ela era muito mais gostosa que a Gisele. Eu ria muito com o jeito hilário do Walter.


Eduardo Rodrigues está mais belo do que nunca. Eu me tornei seu fã desde quando ele foi escolhido, junto com André Rezende, para fotografar com Bruce Weber, o célebre fotografo internacional. Enquanto assistíamos Gisele repetindo várias vezes as cenas, Eduardo me contou que já tinha fotografado ao lado dela pelas lentes do Mario Testino. Com seu sorriso doce e maroto ele disse que fizeram fotos abraçados e que ele adorou ter o seu rosto colado ao rosto dela.


Ficamos conversando até o termino das filmagens. Ele me falou muito dos trabalhos em Milão, Roma e Nova York. Contou que no ano passado participou do showroom de Giorgio Armani, em Milão e que foi muito legal. Ganhou uma boa grana e ficou o tempo inteiro vestindo roupas incríveis e paquerando as italianas que davam bola para ele. Além do trabalho como modelo Eduardo tem se dedicado a fotografia. Ele me mostrou uma série de fotos que tinha feito e disse que agora, além de ser fotografado também pretende fotografar. Ao mesmo tempo, quer aproveitar o seu currículo de desfiles e capas de revista, além do seu trabalho com Bruce Weber, Mario Testino e Hans Peter Schneider e tentar carreira como ator de TV.

1.6.03




“Tudo em São Petersburgo é caro ao meu coração, e sem ela minha vida seria impossível”.Tchaikovski.


SÂO PETERSBURGO é uma cidade pela qual sou fascinado desde que li o livro Tribunal de Honra, de Dominique Fernandez. As descrições que o autor faz da cidade envolve o leitor de tal maneira que quando ele acaba de ler o livro tem a impressão de ter feito uma viagem àquele lugar. O clima, o charme, a arquitetura, o povo, os hábitos. É tudo descrito com tanta verdade literária que é difícil ler o livro e não se apaixonar pela cidade fundada por Pedro, O Grande.


O aniversário da fundação da cidade comemorado neste 31 de maio me deixou com vontade de reler o livro. Tribunal de Honra conta, de forma romanceada, os últimos dias de vida de Tchaikovski. O famoso compositor russo, adorado pelo público e respeitado mundialmente, estava tendo um caso com um garoto de 17 anos, estudante do colégio militar e sobrinho do Czar. A descoberta do romance entre o maestro cinquentão e o jovem militar vira um escândalo nos porões da elite da sociedade russa de então.


Escandalizado, o Czar cria um corpo de jurados cuja função é julgar o comportamento do compositor e determinar uma penalidade para ele, caso fosse condenado pelo seu julgamento. Esse corpo de jurados é o Tribunal de Honra que dá título ao livro. A história é contada por um influente engenheiro russo, radicado na França, que volta a São Petersburgo para construir uma ponte. Ao chegar na cidade ele toma conhecimento da existência do tribunal para julgar os hábitos sexuais de Tchaikovski. A princípio ele fica chocado com o comportamento do compositor. Mas, um dia ele leva a esposa para assistir a um concerto do Tchaikovski. Ao ouvir a música maravilhosa do compositor a esposa do engenheiro fica tão emocionada que começa a chorar. O homem fica impressionado com aquele artista que, com sua música, conseguiu emocionar sua esposa a ponto de leva-la às lágrimas. Comovido, decide interceder por ele, junto ao Tribunal de Honra.


Partindo dessa situação o autor criou uma obra mágica, de fascinante erudição e forte teor dramático. Um mergulho arrebatador na arte e na cultura de um povo. A descrição das ruas, dos parques, das carruagens circulando pelas ruas de pedra, da suntuosidade dos castelos dos Czares, da vaidade dos artistas vivendo numa época de esplendor cultural. Tudo envolve o leitor de tal forma que a música do compositor parece brotar das páginas do livro, assim como a beleza das paisagens, além do charme e sensualidade do homem russo.



Dar uma descrição precisa do que nunca aconteceu não é apenas o trabalho que convém ao historiador,
mas o inalienável privilégio de todo homem de arte e cultura.
- Oscar Wilde





BEBEL GILBERTO está com a agenda lotada no mês de julho. É que nesse período ela estará fazendo uma turnê por diversas cidades da Europa. Só lugares incríveis. Bilbao, Zaragoza, Londres, Manchester, Nice, Utrecht, Bristol e Kent, terra natal do nosso Ritchie. A informação está no site oficial da cantora , que é cheio de bossa. Tem fotos muito legais. E informações interessantes sobre Bebel. No site ela conta que está gravando um novo disco.


Eu encontrei Bebel Gilberto no Arpoador, no inicio de Maio. Ela tinha vindo a São Paulo fazer o show de lançamento da VIVO, com Caetano Veloso e aproveitou para visitar a família, aqui no Rio. E também matar as saudades da praia. Nós gostamos muito de teatro e a primeira coisa que ela me disse é que tinha assistido a peça Proof, com Jenifer Jason Leigh e tinha adorado. Bebel contou que tinha ficado muito impressionada com a atuação da Jenifer, uma de suas atrizes favoritas. Eu disse a ela que a versão brasileira do espetáculo também é muito boa. A PROVA, que tem uma brilhante performance de Andréa Beltrão está em cartaz em São Paulo.



JACKIE MILLER CONTA – Um site curioso e cheio de propósitos. ARMÁRIO X É totalmente dedicado aqueles que estão pensando em “sair do armário”. Tem depoimentos de pessoas que “saíram do armário”. É uma espécie de manual que orienta aqueles que estão em dúvida quanto a “sair do armário”. Um artigo da Vange Leonel: “Quem disse que é fácil sair do armário?” Ideal para recomendar aqueles amigos que ainda estão naquela fase de “ou dá ou desce”.